TÍMIDO?

LIBERDADE EMOCIONAL NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

Você sente nervoso ao falar em público?

Tem dificuldade de conversar com pessoas estranhas?

É muito difícil fazer novas amizades?

Falar no telefone pode ser um tormento para você?

Pedir algo, dar recados é quase impossível para você?

Você precisa compreender o que é Liberdade Emocional nas relações interpessoais.

Quando falamos de Liberdade Emocional na capacidade de relacionamentos interpessoais, falamos de pessoas capazes de circular com tranquilidade entre as pessoas, conversar, falar em publico e muito mais do que isso. Se sentir seguro em qualquer situação, qual envolva outras pessoas.

Se imagine caminhando livremente sem a preocupação de estar entre outros, conversar, se sentir a vontade.

É maravilhoso, não é?

Você gostaria de vivenciar essa sensação no dia a dia, sem nervoso, sem medo ou insegurança.

Você pode!

A dificuldade de se relacionar é mais misteriosa que parece, ela não está apenas na timidez, está também na forma que se relaciona com as pessoas qual convive no seu dia a dia. Casa, trabalho… o olhar que tem pelo outro e a forma de lidar com as pessoas.

A partir do momento que toma conhecimento de quem é você, resgata sua confiança e principalmente sua autoestima. Quando se descobre como um ser humano integro, se torna dono de você mesmo, direcionando sua vida de forma assertiva, com amigos, colegas e pessoas que te respeitando, isso acontece, a partir do momento que também passa a se respeitar internamente. Todo processo de busca interna, é reconhecida como um todo, apoderando-se de forças internas que antes estavam adormecidas, enraizadas em crenças distante da sua essência.

Liberá-la para germinar, crescer e florescer em todo seu ser, para colher alegria em cada passo de sua vida.

Timidez no dicionário leva o peso de sua palavra – A timidez ou o acanhamento pode ser definida como o desconforto e a inibição em situações de interação pessoal que interferem na realização dos objetivos pessoais e profissionais de quem a sofre. Caracteriza-se pela obsessiva preocupação com as atitudes, reações e pensamentos dos outros. –  O julgamento, a exigência de si, o torna como um botão que não floresce, quando você consegue enxergar qual a sua dor emocional, qual impressão da infância marcou sua vida, quem te calou, você consegue dar o grito da liberdade, libertasse  para novos  caminhos, só que agora florido, feliz e pronto para transformar o restante da sua vida.

Métodos, práticas de autoconhecimento leva água para a semente da comunicação germinar e assim trazer flores a fala, tranquilidade e facilidade de circulação entre as pessoas.

A pergunta é – O que houve que te calou?

Um olhar assertivo para você, através da visão sistêmica é um despertar. Viver sem medo de estar, de ser, de se reconhecer.

Selma Flavio – Psicoterapia/Constelação Familiar

Assistam o vídeo, curta se inscreva. Compreenda muito mais!


Ler mais

como está a saúde do filho

Você sabe o que é alienação parental, você sabia que ela começa muito antes da separação?

É a manipulação psicológica em uma criança em mostrar medo, desrespeito ou hostilidade injustificados em relação ao pai/mãe ou outros membros da família do parceiro.

Em poucas palavras, é colocar a criança contra qualquer pessoa do grupo familiar do seu companheiro(a) ou ex-companheiro(a), prejudicando o seu vínculo afetivo, para que a criança fique apenas a seu favor.

Nessa situação a criança é obrigada a tomar partido, tirando a sua posição de filho, forçando a julgar um dos pais. Quando isso acontece, você está dizendo a criança que não gosta de 50% dela, – pois ela é o resultado da união do casal.

“O homem dever reconhecer que a família da mulher, apesar de diferente, tem o mesmo valor que a sua. E a mulher tem que reconhecer que a família do marido, embora seja diferente da sua, também tem o mesmo valor.”

Bert Hellinger -2016

Quando Bert diz a família do companheiro deve ser reconhecido, ele sugere que devemos reconhecê-los como família de nossos filhos. Olhar com respeito sem menosprezar diante a criança.

Em consequência a criança inconscientemente também passa a se rejeitar, não gostar parte de si, se rejeita da mesma forma que você rejeita o companheiro(a).

A alienação parental começa muito antes da separação, começa quando o relacionamento não vai bem e um dos pais já faz a manipulação do filho a  seu favor.

Um jogo grave e perigoso, onde as consequências maiores se projetam na saúde mental do seu filho. Podemos ter crianças com baixa de autoestima, depressivas, agressivas, com doenças físicas e muito mais.

Na gravidade da situação, uma criança é capaz de tentar salvar o casamento dos pais, desenvolvendo uma doença grave.

Deve estar se questionando, como é difícil não mostrar a insatisfação para o filho, principalmente em casos em relacionamentos abusivos com agressividade.

Sei o quanto é difícil, tente pelo menos não comentar na frente do filho, não jogar as frustações na criança, principalmente nas primeiras fases da vida, o que existe entre os adultos precisam ser resolvidos entre os adultos. Mantenha-o o mais parcial possível e procure ajuda terapêutica.

Para poder tomar decisões assertivas, cuidando também do seu emocional, ajudando a preservar a saúde emocional do seu filho. A separação muitas vezes é o melhor caminho, fazê-lo de forma saudável é a melhor solução para todos. Pois, todos estão adoecidos.

Selma Flavio – Psicoterapeuta/Constelação Familiar

“O pai está sempre presente na criança. Quando eu rejeito o pai, rejeito também a criança. A criança sente isso e fica dividida. Não pode ficar completa.”

Bert Hellinger no livro “A fonte não precisa perguntar pelo caminho”

Veja o vídeo e entenda


Para informações e agendamento

Ler mais

Como todas as doenças, o câncer é um movimento do Espírito que é colocado em funcionamento quando alguém rejeitou a vida, para levar de volta a essa pessoa a vida.
Quando se trata de uma doença grave, a vida foi rejeitada repetidamente, após a recusa de enfrentar toda uma série de conflitos, e essa rejeição ocorreu em várias gerações seguidas.
Por isso, precisamente a doença se torna difícil, dura e exigente.
Pois o caminho de volta à vida pede a renúncia a crenças familiares muito enraizadas-crenças muito excluidoras -, pede para superar o sentimento de culpa de deixar de ser fiel a várias gerações.
Quanto à pessoa manifesta a sua adesão à vida como ela é: o seu assentimento à sua mãe, assentimento a sua doença, à sua carga; quando toma o seu lugar de filho e só de filho, quando decide enfrentar os seus conflitos, o câncer se aposenta.

HELLINGER
De início, quero dizer algo sobre a dinâmica familiar numa doença grave. É preciso observar que uma doença se origina em diversos níveis, e deve ser considerada tanto pelo lado físico quanto pelo lado da dinâmica interior da alma e do ambiente do enfermo.

Se olhamos principalmente para o ambiente, o ambiente familiar, observamos que a criança se liga à sua família com um amor muito profundo, com um amor arcaico. Esse amor é tão grande que a leva a querer partilhar o destino de seus pais e irmãos, simplesmente pela vontade de pertencer à família. Assim, acontece de alguém ficar doente para seguir uma pessoa que adoeceu antes, para partilhar o seu destino. A doença surge nesse caso como uma consequência dessa ligação.

Esse amor do vínculo familiar é cego na criança, pois ela não vê a outra pessoa, seja o pai ou a mãe. Ela não percebe que o pai, a mãe, os irmãos ou antepassados são pessoas que também amam, que a amam da mesma maneira que são amadas por ela.

Quando a criança percebe o amor que a leva a seguir, na morte ou na doença, sua mãe que morreu prematuramente, e diz à mãe: “Eu também quero morrer”, ela está exprimindo claramente o que sucede com a doença grave. Se, porém, ela encarar a mãe ao dizer isso, já não poderá dizê-lo, porque percebe que a mãe também a ama e que, para amar realmente a mãe, ela deveria dizer: “Mamãe, para alegrá-la continuarei viva”. Pois esse amor seria maior do que o amor que deseja seguir a mãe em seu destino.

É isso o que fazemos aqui. Trazemos à luz o amor escondido que faz adoecer, e levamos o doente a encarar a pessoa que ele deseja seguir. Então, quando o amor cego que faz adoecer vem à tona, ele se transforma numa força que ajuda a permanecer em vida. Quando abre os olhos, o mesmo amor que conduzia cegamente à morte passa a levar à cura. Esta é a dinâmica básica.

Fontes:
DESATANDO OS LAÇOS DO DESTINO – Bert Hellinger-Constelar a doença desde as compreensões de Bert Hellinger e Hamer – Brigitte Champetier de Ribes



Posts Recentes

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto… plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Veronica A. Shoffstall

De repente você amadurece!

Agendamento/Informações

Posts Recentes:


Oração de liberação da dor ancestral da linhagem feminina

Amadas mães, avós e irmãs…

Hoje e para sempre
Soltamos as recordações dolorosas que nos unem àqueles atos, pensamentos e sentimentos presentes na nossa linhagem feminina, onde está envolvida a linhagem masculina em seus piores aspectos.
Pelos maus tratos à nossa Essência Feminina em palavras, atos, pensamentos e sentimentos.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Onde a obrigação estava acima do amor
Onde a indiferença era aceita como algo “lógico” pelas nossas tarefas cotidianas.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Quando o descanso quase não existia, pois nosso ritmo de trabalho era muito além do nascer e do pôr do sol.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Quando o amor do homem para a nossa Essência Feminina era um ato para sua satisfação pessoal, esquecendo nossos sentimentos profundos de amor, nossa entrega cotidiana, nosso amor em silêncio apesar da desvalorização, a indiferença e a falta de amor.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Pelas memórias ancestrais de toda a nossa linhagem feminina familiar e mais além dela.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Pela cura total, pela liberação total de toda ferida de ontem e de hoje.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Hoje e para sempre nos perdoamos, nos amamos no respeito absoluto da nossa Essência Divina Feminina, para ser fonte viva de amor ilimitado.
Curando todo ressentimento.
Perdoando cada ferida recebida.
Amando a todos por igual.
Eu sinto muito.
Me perdoe.
Te amo.
Sou grata.

Renascemos em nós mesmas em nossa nova Linhagem Divina Feminina onde a paz, o amor, a compaixão e a misericórdia como laços de cura unem o separado, cicatrizam o machucado, soltam o rancor e a ira.
Renasce em equilíbrio perfeito onde o Feminino e o Masculino são livres, sãos e complementares.
Amantes do Amor Ilimitado.
Assim é, assim está feito.

Tradução de Oración de liberación del dolor ancestral del linaje feminino


Posts Recentes

Avó Materna

A avó materna é chave para entender a transferência de informações e programas que carregamos inconscientemente durante toda vida.
Quando nossas avós estavam grávidas de nossas mães, o feto em formação já carregava os dois ovários que continham os óvulos com os quais ela iria se desenvolver. Um destes óvulos tem seu nome.

Este pequeno óvulo que está nos ovários de sua mãe, dentro do ventre de sua avó, recebe todos os impactos emocionais que esta senhora vivencia.
Nossas mães, como feto, e nós, como óvulos, estamos sujeitos a toda sorte de experiências traumáticas vividas por nossas avós maternas.
Esta é a essência do processo de transferência de informações.
Estes impactos emocionais estão relacionados à forma como foram vividas estas experiências, ex: se era o momento adequado de ter filhos, se a gravidez foi desejada, se sentia-se protegida por seu marido, se havia suspeita de traição, se havia ninho (território), se haviam suficientes recursos financeiros, se as condições de saúde eram as adequadas, etc.

É importante ressaltar que as experiências em si mesmo são neutras apesar de sua carga de dramaticidade. O que é decisivo neste caso é a forma como cada um vê e experimenta cada circunstância.

Ex.: se eu acho que estou sendo traído, meu inconsciente não quer saber se é verdade ou não, vive como real e ponto. Se meu marido passa o dia todo trabalhando eu posso viver esta situação como desproteção ou mesmo abandono.
Que necessidades biológicas não estavam cobertas pela avó no sentido de sobrevivência, proteção, valorização pessoal e de relacionamentos interpessoais?

Todas estas informações e muitas outras ficam gravadas em forma de engramas em cada célula do feto, das quais uma é você. É conhecido como memória celular.
Algumas vezes escutamos falar que a genética salta uma geração, aí está a explicação.

E por que a avó e não o avô?
Porque os espermatozóides se renovam a cada dia, ao contrário dos óvulos que permanecem os mesmos durante toda a vida adulta. Além disso, os óvulos carregam um tipo de informação que não está presente nos espermatozóides, o DNA mitocondrial.

E você, o que sabe da sua avó materna?”

Carlos Veiga Jr. 


Agendamento / Informações


Liberdade Emocional

Você sabe o que é liberdade emocional?

O quanto você é capaz de fazer escolhas a partir de um ponto de vista que não interfira na sua saúde física e emocional?

O quanto você sabe dizer não em situações que deveria se esquivar  ou se nega demais?

O quanto você reconhece que a atitude do outro te faz mal, conseguindo administrar de forma positiva a situação?

Você consegue identificar a sua inteligência emocional quando consegue fazer escolhas sem prejudicar o outro, porém, protegendo a si.

Tantas vezes num círculo vicioso vai vivendo situações qual não conseguem se desprender, sem a consciência de quão está preso as essas situações negativas. Aprisionado nas emoções reativas, as escolhas inconscientes vão simplesmente repetindo sua rotina dia após dia. Sem a consciência que poderia transformar aquele meio.

Ficamos, sim! Escravos do comportamento por espera de aprovação ou repetição de padrão.

Tudo pode começar na infância, persiste na adolescência e pode se tornar insuportável na vida adulta.

O que nos mantém escravos submissos as pessoas e situações, são sentimentos ruins, necessidades de aceitação que precisam ser reconhecidos e liberados para não gerar depressão ou doenças físicas/emocionais. Muitas são as vezes que o coração está olhando para o abandono gerado pelas gerações; a culpa, ressentimentos , mágoas te pressionam dando a falsa sensação de liberdade através das escolhas que limitam o amadurecimento emocional.

Tudo é uma questão de olhar, reconhecer para libertar. Nada do que não temos consciência é capaz de ser curado, por isso a necessidade de uma terapia que o leve ao autoconhecimento.

O autoconhecimento é a fonte da cura, os primeiros passos para a transformação para o caminho da
LIBERDADE EMOCIONAL.

Selma Flavio – Psicoterapeuta / Constelação Familiar



A Mulher, é um ser extraordinariamente metafisico. Não se pode chegar ao coração de uma mulher, sem que você tenha de alguma forma chamado a sua atenção.

Nunca subestime a inteligência e a intuição de uma mulher, basta um olhar mais detalhado e será descoberto tudo que ela quiser de fato saber.

Assim, sem esforços ou obstáculos que a impeçam. Pois elas, tem a maleabilidade da água.
O encantamento do fogo.

A fecundidade da terra. E a força dos ventos. Tudo isso temperado com a essência do amor. Cinco elementos em um só ser…

Um Ser Chamado Mulher!”

~ Osho


Avaliação: 5 de 5.

Saúde Mental

A maior parte das pessoas, quando ouve falar em “Saúde Mental”, pensa em “Doença Mental”. Mas, a saúde mental implica muito mais que a ausência de doenças mentais.
Pessoas mentalmente saudáveis compreendem que ninguém é perfeito, que todos possuem limites e que não se pode ser tudo para todos. Elas vivenciam diariamente uma série de emoções como alegria, amor, satisfação, tristeza, raiva e frustração. São capazes de enfrentar os desafios e as mudanças da vida cotidiana com equilíbrio e sabem procurar ajuda quando têm dificuldade em lidar com conflitos, perturbações, traumas ou transições importantes nos diferentes ciclos da vida.
A Saúde Mental de uma pessoa está relacionada à forma como ela reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções.

Ter saúde mental é:

  • Estar bem consigo mesmo e com os outros;
  • Aceitar as exigências da vida;
  • Saber lidar com as boas emoções e também com aquelas desagradáveis, mas que fazem parte da vida;
  • Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário.

Segundo a ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE:

É o estado de bem-estar no qual um indivíduo realiza suas próprias habilidades, consegue lidar com as tensões normais da vida, trabalhar de forma produtiva, mantes relações interpessoais saudáveis, formar vínculos afetivos e fazer contribuições à sua comunidade.

Terapia Cognitivo-Comportamental / TCC

A terapia cognitivo-comportamental, ou simplesmente TCC, é uma abordagem da psicoterapia que tem como foco entender a maneira como cada pessoa interpreta os acontecimentos, ou seja, concentra-se em identificar como você enxerga, pensa ou sente as situações.

Seu principal objetivo é encontrar padrões de comportamento, compreensão, crenças e hábitos que originam os problemas para, depois, buscar formas de alterar essas percepções de maneira positiva.

É uma terapia que se aprofunda na fala do paciente e este é o motivo pelo qual as mudanças costumam ser efetivas e duradouras: por meio da comunicação, o terapeuta vai entendendo e identificando as concepções equivocadas e, em cima de cada uma delas, encontra mudanças que possibilitam uma boa adaptação à realidade.

Como funciona a terapia cognitiva comportamental

Tem como principal objetivo corrigir os pensamentos distorcidos e aliviar os sintomas depressivos, de forma sócio educativa, direcionando o paciente a compreender seu estado emocional, facilitando as tomadas de decisões, direcionando para a conquistas de novos desafios. Na compreensão dos efeitos qual os transtornos causam na vida, promove as habilidades para lidar com as situações indesejáveis, em sua reinterpretação, levando a resultados positivos.

O terapeuta oferece ao cliente técnicas e atividades que auxiliam na mudança de pensamentos e crenças, permitindo desenvolver o autoconhecimento e a tomada consciente de suas escolhas.

Identificando as distorções cognitivas, auxiliando a reconhecê-las para que possam substituir suas visões negativas do seu processo emocional por habilidades positivas.

O que pode ser tratado

É indicada para todas as pessoas, em vários âmbitos da vida. No tratamento dos transtornos como TOC, ansiedade, depressão, depressão mórbida, depressão pós-parto, bipolaridade, fobias, traumas, dependência química, transtornos alimentares, escolhas profissionais, luto, separações, perdas, desenvolvimento pessoal, dificuldade no relacionamento, dificuldade na adolescência e crise da maturidade.

Auxiliando o empoderamento do paciente em:

  • Ter autonomia para compreender e distinguir a realidade de seus pensamentos negativos.
  • Clareza de seus pensamentos e sentimentos, de forma fluidifica e vital.
  • Conquistar a habilidade para interromper seus processos internos negativos.
  • Ter instrumentos para que possa auxiliar a si, num momento de crise.

Selma FlavioFormação em Pedagogia – Psicoterapeuta na especialização em Terapia Cognitivo-Comportamental ( terapia para transtornos mentais); Constelação Familiar Sistêmica; Especialista em Terapia Floral, Profª Curso Internacional Healingherbs .

Fale comigo linktr.ee/selma.flavio

Contato 11 973873144
Local: Aura Quartz – Rua Visconde de Itaboraí , 360 –  próximo ao Metrô Tatuapé


Avaliação: 5 de 5.

“Talvez o amor”

Canção que nos faz refletir sobre o amor.

John DenverDefinitive All-Time Greatest Hits – Perhaps Love (tradução)

“Talvez o amor”

Talvez o amor seja um lugar de descanso, um abrigo contra a tempestade.

Ele existe para te dar conforto, está lá pra te manter aquecido.

E naqueles momentos problemáticos, quando você está muito sozinho.

A memória do amor vai te trazer para casa.

Talvez o amor seja uma janela, talvez uma porta aberta.

Ele te convida para chegar mais perto, ele quer te mostrar mais.

E mesmo que você se perca e não saiba o que fazer.

A memória do amor vai ver você por dentro.

Amor para alguns é como uma nuvem, para outros forte como aço.

Para alguns um modo de vida, para outros um sentimento.

E alguns dizem que o amor é prender e outros dizem que é soltar.

E alguns dizem que o amor é tudo e outros dizem que não sabem.

Talvez o amor seja um oceano, cheio de conflitos, cheio de dor.

Como um fogo quando está frio lá fora, trovão quando chove.

Se eu tivesse que viver para sempre e todos os meus sonhos se tornassem realidade.

Minhas memórias de amor seriam suas.

E alguns dizem que o amor é prender e outros dizem que é soltar.

E alguns dizem que o amor é tudo e outros dizem que não sabem.

Talvez o amor seja um oceano, cheio de conflitos, cheio de dor.

Como um fogo quando está frio lá fora, trovão quando chove.

Se eu tivesse que viver para sempre e todos os meus sonhos se tornassem realidade.

Minhas memórias de amor seriam suas.

Fonte Vagalume


Avaliação: 5 de 5.


%d blogueiros gostam disto: