Em cada descendente curado, todos os ancestrais são honrados. Cada ser que respira sobre a Terra só o faz porque aqueles que o antecederam fizeram o que foi necessário para que a vida passasse adiante. Cada pessoa que toma a força da vida e a leva mais além, fazendo valer o sacrifício dos que vieram antes, com respeito e gratidão, move-se para o êxito, em um fluxo de amor leve e cheio. Assim, através de sua alegria todos sorriem, em seu sucesso e destino mais amplo todos são louvados. Toda família é abençoada. Todo sistema é cheio de vida e amor. Cada geração grata recebe a herança que lhe é ofertada com mais leveza, para levar mais além todo o legado dos que vieram antes”

Bert Hellinger



O COLETIVO ILUMINADO

 

À medida que a nova consciência emerge, algumas pessoas sentir-se-ão impelidas a formar grupos que reflitam a consciência iluminada. Estes grupos não serão egos coletivos. Os indivíduos que constituem estes grupos não terão necessidade de definir a sua identidade através deles. Já não procuram qualquer forma para definir quem são. Mesmo que os membros desses grupos ainda não estejam totalmente livres do ego, haverá consciência suficiente neles para reconhecerem o ego em si próprios ou nos outros, assim que ele se manifestar. Porém, têm de estar constantemente alerta, uma vez que o ego vai tentar assumir o controlo e reafirmar-se de todas as maneiras possíveis.

Dissolver o ego humano, trazendo-o à luz da consciência, será um dos principais objetivos destes grupos, sejam eles empresas iluminadas, instituições de caridade, escolas ou comunidades de pessoas que vivem juntas. Os coletivos iluminados vão ter uma função importante no surgimento da nova consciência. Tal como os objetivos egóicos nos atraem para a inconsciência e para o sofrimento, o coletivo iluminado pode constituir um vórtice de consciência que vai acelerar a mudança planetária.

Eckhart Tolle


COMO PASSAR ESSE DESAFIO COM A PANDEMIA.

Levanta cedo, toma café, leva os filhos pra escola, trabalha, trânsito. Enfim, rotina. E de repente tudo muda.  A notícia é Covid-19, vírus que veio da China, e causou a morte de milhares de pessoas, situação que sai totalmente do nosso controle; nos roubando a opção de aceitar ou não passar por isso.

Está aqui e é de fato, mas como podemos manter o equilíbrio emocional em um momento como esse?

Posição

A palavra de ordem é: Cautela

omo manter a cabeça saudável?

Já são tantas dores emocionais para lidar no dia a dia, que segurar mais esta é um grande peso.


Falo com todo respeito a cada um de vocês.

Não precisa ser super heróis; estamos sim vulneráveis, apenas precisamos passar por mais um desafio, um desafio agora que não é apenas de um, mas de todos e ao mesmo tempo. Passar esse desafio com o máximo de equilíbrio emocional que conseguir e se porventura for contagiado, superá-lo sem maiores sequelas.

Para isso é necessário compreender mais um pouco. Assim trago 3 exercícios para ajudá-los a entender o que é energia do medo, sair e deixar a energia do amor transformar esse momento, e todos os momentos em que necessitar.

Acesse o vídeo, você vai ter compreensão e entendimento, passo a passo, de cada meditação.

Se estiver em pânico mesmo depois desse exercício, pode falar comigo, envie um e-mail contanto sua situação e deixe seu WhatsApp, para que eu possa responder e lhe indicar um floral para ajudá-lo nessa transição.

Agradeço a todos!

RECITE:  – Terra amada, assumo minha parcela de responsabilidade ao que acontece aqui.

– Eu sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata(o).

FIQUEM COM DEUS!

Espalhe a todos, esse texto, assim podemos ajudar muito mais.

Selma Flavio – CNT-SP 0879 – Terapeuta / Constelação Familiar e Desenvolvimento Pessoal
Cursos – Workshop – Palestras – Desenvolvimento Pessoal

Contato direto:
Rede Social – TerapiaDesenvolvimentoPessoal
Através do formulário abaixo ou pelo WhastApp 11 97387314WhastApp pelo seu computador

Profunda reflexão de Bert Hellinger, o alemão que já foi padre, largou o celibato e tornou-se psicoterapeuta e escritor. Atualmente está com 93 anos. Ficou conhecido mundialmente pela criação do método “Constelação Familiar”


“A vida decepciona-o pra você parar de viver com ilusões e ver a realidade.
A vida destrói todo o supérfluo até que reste somente o importante.
A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como “É”.
A vida vai retirar o que você tem, até você parar de reclamar e começar agradecer.
A vida envia pessoas conflitantes para te curar, pra você deixar de olhar para fora e começar a refletir o que você é por dentro.
A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.
A vida lhe tira do caminho e lhe apresenta encruzilhadas, até que você pare de querer controlar tudo e flua como um rio.
A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de “reagir”.
A vida te assusta e assustará quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.
A vida tira o seu amor verdadeiro, ele não concede ou permite, até que você pare de tentar comprá-lo.
A vida lhe distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.
A vida ri de você muitas e muitas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.
A vida quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar em ti.
A vida confronta você com rebeldes, até que você pare de tentar controlar.
A vida repete a mesma mensagem, se for preciso com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.
A vida envia raios e tempestades, para acordá-lo.
A vida o humilha e por vezes o derrota de novo e de novo até que você decida deixar seu ego morrer.
A vida lhe nega bens e grandeza até que pare de querer bens e grandeza e comece a servir.
A vida corta suas asas e poda suas raízes, até que não precise de asas nem raízes, mas apenas desapareça nas formas e seu ser voe.
A vida lhe nega milagres, até que entenda que tudo é um milagre.
A vida encurta seu tempo, para você se apressar em aprender a viver.
A vida te ridiculariza até você se tornar nada, ninguém, para então torna-se tudo.
A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.
A vida te machuca e te atormenta até que você solte seus caprichos e birras e aprecie a respiração.
A vida te esconde tesouros até que você aprenda a sair para a vida e busca-los.
A vida te nega Deus, até você vê-lo em todos e em tudo.
A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta… Mas creia, isso é para que seu melhor se manifeste… até que só o AMOR permaneça em ti”

Bert Hellinger


A manifestação da doença e a sua busca de remissão nos indivíduos e nas sociedades.

A visão sistêmica traz três aspectos inovadores e essenciais para a compreensão da manifestação de doenças nas pessoas. Trata-se de compreender o seu pertencimento, a sua ordem de manifestação e o tipo de compensação que os organismos buscam para adquirir o seu equilíbrio vital através de um adoecimento. No caso de uma doença infectocontagiosa como o corona vírus, que altera a conduta de comportamentos não só dos indivíduos infectados, mas seu caráter contagioso assume proporções pandepidêmicas. Neste caso, é preciso compreender a manifestação desta doença não apenas no âmbito individual em uma família , mas precisamos compreender as questões sociais,  dos  grupos e de todo um país, dada as proporções em que se manifesta a doença.

Uma vez que sua contaminação atinge à todas as pessoas indistintamente, seu processo de contaminação tem relação com questões sistêmicas das políticas públicas e das questões da saúde social de todo o povo do país infectado. Neste sentido a ciência sistêmica pode trazer uma compreensão que nos dá perspectivas ampliadas, capaz de trazer novas compreensões para uma condução terapêutica eficaz.

As técnicas das constelações sistêmicas terapêuticas são capazes de contribuir com novas perspectivas para a vida saudável de todo um povo. Bert Hellinger observou que muitas doenças refletem mecanismos de compensações de comportamentos que estão buscando soluções ainda não encontradas em seus organismos anímicos. E, ao se manifestarem como doença orgânica permitem acesso aquilo que está ocultado e causando um desequilíbrio no indivíduo, na família e na sociedade,  como no caso do corona vírus. Vamos analisar cada uma das três classes de manifestações sistêmicas desta doença:

  1. A análise sistêmica da manifestação do princípio de pertencimento do corona vírus, pode ser compreendida pela sua taxonomia. Veja, o vírus pertence ao grupo de vírus de genoma de RNA simples de sentido positivo, pertence à subfamília taxonômica Orthocoronavirinae da família Coronaviridae, da ordem Nidovirales. E, pelo fato de não pertencer a nenhum reino, ele se utiliza da vida ou seja do reino de seu hospedeiro. Além de ser o único ser celular composto por um invólucro de proteína com DNA ou RNA. Desta forma, sistemicamente isto significa dizer que ele se instala como doença em conflitos relacionados a processos de interrupções da vida.
  2. Outro aspecto está relacionado à dinâmica do princípio de ordem o fato da doença estar numa classificação de carácter epidêmico, implica dizer que se trata de comportamento coletivo, como no caso de resolução de leis que são transmitidas a todos os que vivem num conflito semelhante. Como no caso da imposição de interrupções de gravidez e exclusão de meninas em muitos desses casos na China.

As pessoas ao longo da vida podem se infectar com processos viróticos comuns. No caso da corona vírus um estudo genético confirmou que o 2019-nCoV foi transmitido aos humanos por um animal silvestre desconhecido, infectado por morcegos. Este tipo de infecção não é um tipo de manifestação das chamadas doenças de desenvolvimento natural mas algo completamente fora das chamadas doenças de desenvolvimento.

  1. Na manifestação do princípio de equilíbrio que a doença busca uma compensação, atuação do corona vírus está relacionada à manifestação dos sintomas da febres, de disfunções respiratórias e de dores no sistema do metabolismo. Este quadro de manifestações são formas de compensações sistêmicas que se relacionam aos sintomas do medo, da vergonha e da culpa. Estes comportamentos, são reações relacionadas aos processos de interrupções da vida como pode acontecer em situações de interrupções da vida pelo aborto.

A Remissão da doença

Para se conseguir a remissão da doença será preciso encontrar uma forma para se lidar com o processo de  interrupção da vida em grande escala. O tempo não volta, mas é possível se dar lugar para todos aqueles que estão excluídos. Portanto a constelação tem como finalidade dar lugar a todos que foram excluídos da vida para que possam finalmente ocupar seu lugar de honra no sistema.

Experiências recentes de constelações realizadas* com grupos de familiares e parentes de pacientes do corona vírus, mostraram que, quando o Holograma da doença é colocado no campo, os representantes começam a circular cabisbaixos, manifestando falhas coletivas. O campo passa a ser  ocupado por representantes de fetos e mulheres grávidas mortas.

Então é trazido representantes terapeutas, que não são afetados e ficam de pé. Eles olham para os vivos e  buscam por aqueles que de alguma forma evitam olhar para os seus mortos. Aos poucos todos passam a se curvar perante a dor e o sofrimento. Só então, quando conseguem olhar e dar lugar a eles em seu coração, muda a dinâmica e os representantes da doença partem. Neste momento o vírus e outros representantes carregam consigo o medo, a vergonha e a culpa, dando lugar para a compaixão dos vivos que passam a ser guiados pelos representantes da vida. Neste momento é trazido para o campo palavras de ordem como: “Eu vejo a sua dor, vejo o seu medo da morte, vejo a vergonha do que aconteceu. A vida passa a buscar nas mães que antecederam, as forças para ver o insuportável. E aos poucos a vida vai abrindo espaço no interior do grupo e todos passam a ser incluídos no sistema. A partir de então, o vírus começa também olhar para a nova ordem e o  Holograma do Coronavírus pode se separar dos vivos e leva do campo a dor e o sofrimento. Então uma certa atmosfera de paz passa a predominar no campo

A sabedoria deste sofrimento pode ser tomada como aprendizado universal e humanitário, não apenas para a China. Mas disponibiliza um aprendizado para toda a dor e sofrimento que pode ser levado para além do campo e através de sistemas possam cobrir o mundo inteiro, estendendo ao cosmos e permitindo que cada um possa nesta remissão contribuir como membros partes de uma só humanidade.

Fonte de Brigitte Champetier de Ribes



PORQUE VOCÊ NÃO SE CURA

Você não cura porque desconhece a origem da sua doença.

Você não cura porque não aprendeu a nutrir-se, escolhendo comer de forma nociva e pobre.

Você não cura porque continua a ignorar o Ser poderoso e valioso que possui dentro de si.

Você não cura porque continua a agir como se nada fosse, fingindo que tudo está bem em seu mundo.

Você não cura porque não se atreve a confrontar as pessoas que dirigem a sua vida.

Você não cura porque não usa as suas tesouras para cortar o cordão umbilical com a sua família.

Você não cura porque acredita firmemente que existem doenças crônicas.

Você não cura porque transformou o sedentarismo numa nefasta forma de vida.

Você não cura porque assumiu que o sacrifício é a maneira de mostrar amor aos outros.

Você não cura porque não usa a magia do perdão para se limpar da ira e do rancor.

Você não cura porque não respeita o livre arbítrio dos seres que o rodeiam deixando que sejam o que são.

Você não cura porque intoxica o seu corpo com comprimidos e produtos químicos que sufocam os sintomas que falam da desarmonia interior.

Você não cura…

É porque se esqueceu que você é o Curador!

Célia Clélia Oliveira



EM CONSTELAÇÃO FAMILIAR – DEPOIMENTO.

O Constelador chamou todos para representar as causas da doença de uma pessoa em questão, quando chegou minha vez, me identifique com a cura a fé, especificamente a fé.

Na hora em que o Constelador perguntou onde era o meu lugar – prática da Constelação em achar um lugar no sistema da pessoa em que representa – mesmo antes de identificar quem eu representava, olhei em volta e percebia muita luz e me vi em todos os lugares, respondendo: – Estou aqui, ali, em volta, em você, onde houver lugar.

Nunca tinha visto aquilo, me transformei em todas as Deusas, fazia os gestos indianos e de outras castas, de outras fé. Percebi em mim que estavam todas “as santas” todas as mães curadoras, todas as figuras femininas em fé, a Grande Mãe.  Que todas, eram uma só!

Nesse momento a representante da pessoa doente, chorava emocionada, ao mesmo tempo eu realizava gestos na sua frente, sem entender os sinais. Colocando o dedo polegar no centro de sua testa, sentindo que uma semente de luz instalava em seu coração. A semente representava a fé que a curaria.

Selma Flavio Terapeuta Sistêmica
23/02/2015

Não teria como não lembrar da parábola da semente de mostarda.

‘Se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada será impossível para vocês. ‘ Mateus 17:20.


E o amor?

Para quê serve um Relacionamento?

Uma das necessidades mais profundas dos seres humanos é a de pertencer, de estar em contato. de se sentir unido amorosamente a outras pessoas.

Quando crianças, experimentamos uma grande felicidade ao sentir que pertencemos a nossa família, não importa se a atmosfera é alegre ou tensa. Vivemos essa sensação de pertencimento como uma benção em nosso coração.

Depois crescemos e, como adultos, continuamos pertencendo a nossa família, mas já não experimentamos a doce sensação de pertencer aos nossos pais. Passamos a ter a necessidade de ter essa sensação de pertencimento com outras pessoas, especialmente com um(a) parceiro (a).

Ao nos comprometermos comum caminho de amor, como adultos, escolhendo um(a) companheiro(a), criamos o âmbito para um novo núcleo familiar, com filhos ou sem eles, e experimentamos de novo a sensação de pertencer a algo.

“ O relacionamento afetivo não é uma relação de ajuda, mas uma relação que ajuda. Ajuda o desenvolvimento pessoal, às vezes por meio da alegria, mas outras vezes por meio do sofrimento e do desânimo conscientemente aceitos. Provavelmente, nada ajuda mais o próprio crescimento que assumir de maneira consciente a dor e dar-lhe um espaço dentro de nós mesmos.”
Joan Garriga


Meu pai me magoou muito a vida toda. Eu tenho que incluir? Ele errou feio comigo.

Comentários Possíveis:

1) A vida não é o que você deseja; 

2) Vamos separar didaticamente o que chamamos de “Pai” do que chamamos de “Homem”? Fazer isso terá grandes efeitos psíquicos.

Pai é uma função. Essa função começa a existir quando o espermatozoide dele encontrou o óvulo de sua mãe. Já o Homem (que você chama de pai), ele existia bem antes de você.

 Seu pai é perfeito.

Bert fala que nossos pais são perfeitos e muita gente chia com essa sentença. O que Hellinger quer dizer é que no momento da concepção (ovo + esperma) deu tudo certo. Então, nessa perspectiva biológica, animal, natural, sapiens, você precisa admitir que eles (mãe e pai) são perfeitos. Você é a prova viva e respirante disso.

 Agora vamos falar do homem.

Na “era pré-esperma” quando você nem existia ainda, esse homem (futuro-seu-pai) já estava por aí sendo ele. Esse homem (que você chama de pai) tem o sistema ancestral dele e, possivelmente, o pai dele (seu avô) e o pai do pai dele (seu bisavô) foram daquele tipo de homem que chamamos de “mais seco” ou “duro”. Eles foram homens conforme seu grupo, seu tempo e seu contexto.

• Compreender ajuda.

Você não precisa amar esse pai e nem esse homem, mas compreender esse contexto pode lhe ajudar a sair de onde você está.

• E onde você está?

Você está no plano das ideias e precisa ir pro plano das realidades. Você construiu um pai-ideal na sua mente e esse pai-idealizado não bate quase nada com o pai-real (aquele homem “duro” e “seco”).

O pai (do seu gabarito) não corresponde ao homem que já existia antes de você. E por conta disso, porque você criou um pai na sua cabeça, você se acha no direito de reclamar e ficar ressentido.

• Pai-ciência.

Já pensou passar a vida inteira brigando com o cachorrinho porque ele não é um bode, ou brigar com o cactus porque ele não é uma orquídea? Já pensou passar a vida toda lutando com o pai-real porque ele não é o pai-ideal. Pai-ciência!!!

• Desiludir é ver o realzão e suportá-lo.

Sabe do que você precisa? De desilusões, de muitas desilusões. Tirar os véus, os ideais, as querências. Rasgar os gabaritos, quebrar as suas réguas, esquecer das suas medidas e renunciar a ter razão, razão e mais razão.

Aquele homem não tem que mudar porque você nasceu e o chama de pai. Você não é tão especial e poderoso assim.

• Ele é quem ele dá conta de ser.

Deixa assim.

Eu sei que o seu pai-ideal é mais doce e colorido, contudo ele não existe (tipo papai noel, coelhinho da páscoa e companhia). A grama do vizinho é sempre mais verde, o pai do vizinho é sempre mais pai. Essa é, contudo, uma lógica perversa e disfuncional. Por esse caminho que você escolheu ir só há espinhos.

• O adulto inocente é um infeliz.

Num mundo lotado de parques temáticos e esvaziado de livrarias, é bem mais fácil escolher ser Peter Pan e acreditar no mito do pai- ideal.

Fazendo desse jeito ele (o papai) será sempre o culpado, não é verdade? E você será sempre o inocente, ferido e magoado.

• Os inocentes não progridem.

Quem se vê como vitima aponta o dedo e julga o outro com extrema facilidade. Pessoas assim precisam do algoz pra justificarem seus fracassos e sua vida meia-boca.

Bert Hellinger diz que o perfeito não cresce. Quem se entende perfeito, não tem mais motivos.

• Ema ema ema, cada um com seu Sistema.

Larga disso. Ele não tem culpa, ele tem ancestrais. Você não tem culpa, você tem ancestrais, seus avós não têm culpa, eles têm ancestrais. Todos temos nossas dinâmicas antigas. Intercorrências que nos influenciam.

Todos erramos, todos somos incompetentes em muitos níveis. É humilde pensar assim. Se por hora você não consegue amá-lo ao menos compreenda-o.
Isso pode ajudar você.

Texto de Isabela Couto
Psicanalista



“A vida decepciona-o para você parar de viver com ilusões e ver a realidade.
A vida destrói todo o supérfluo até que reste somente o importante.
A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como “É”.
A vida vai retirar o que você tem, até você parar de reclamar e começar agradecer.
A vida envia pessoas conflitantes para te curar, pra você deixar de olhar para fora e começar a refletir o que você é por dentro.
A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.
A vida lhe tira do caminho e lhe apresenta encruzilhadas, até que você pare de querer controlar tudo e flua como um rio.
A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de “reagir”.
A vida te assusta e assustará quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.
A vida tira o seu amor verdadeiro, ele não concede ou permite, até que você pare de tentar comprá-lo.
A vida lhe distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.
A vida ri de você muitas e muitas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.

A vida quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar em ti.
A vida confronta você com rebeldes, até que você pare de tentar controlar.
A vida repete a mesma mensagem, se for preciso com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.
A vida envia raios e tempestades, para acordá-lo.
A vida o humilha e por vezes o derrota de novo e de novo até que você decida deixar seu ego morrer.
A vida lhe nega bens e grandeza até que pare de querer bens e grandeza e comece a servir.
A vida corta suas asas e poda suas raízes, até que não precise de asas nem raízes, mas apenas desapareça nas formas e seu ser voe.
A vida lhe nega milagres, até que entenda que tudo é um milagre.
A vida encurta seu tempo, para você se apressar em aprender a viver.
A vida te ridiculariza até você se tornar nada, ninguém, para então tornar-se tudo.
A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.
A vida te machuca e te atormenta até que você solte seus caprichos e birras e aprecie a respiração.
A vida te esconde tesouros até que você aprenda a sair para a vida e buscá-los.
A vida te nega Deus, até você vê-lo em todos e em tudo.
A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta… Mas creia, isso é para que seu melhor se manifeste… até que só o AMOR permaneça em ti”


Bert Hellinger



%d blogueiros gostam disto: