CARTA CÓSMICA PARA UM NOVO ANO ABENÇOADO


Chegou a hora das simpatias para o ano novo, chegou a hora de ter o desejo mais profundo de mudança. Quem sabe uma roupa nova, a cor especial, irá influenciar diretamente a vida futuramente. A fé através dos tempos e a esperança de um milagre. Assim move nossos desejos e as paixões.

Durante muito tempo repeti o ritual proposto para atrair sorte, até esperei por milagres, afinal, quem sabe daria certo.

Estudei bastante, vivenciei muitas coisas durante os últimos anos, muitas viagens internas, muita busca. A cada passo para dentro de mim tive a certeza que todas as nossas sortes estão dentro de nós e só nós e não pelo externo, vamos mudar a nossa história.

Cada passo interno era uma dor curada, cada passo interno era uma solução criada, cada passo interno era mais um passo para minha paz interna.

Hoje falo com propriedade, vamos buscar a sorte, vamos achar os bens que nos cabe, os bens físicos, emocionais e espirituais. Vamos olhar com benevolência nossa história, olhar do lado de fora, com olhos de espectador, olhar tudo e a todos, além de nós mesmo. Compreender o o sentido real e verdadeiro do “amar uns aos outros, como a ti mesmo.”

Sabe onde está o segredo, o segredo está em olhar interno, enxergando toda a nossa história. Só assim, compreender e desprender do que te faz mal.


Com todo esse aprendizado sugiro que façam um grande pedido de alma através de duas cartinhas, a primeira é para toda a sua geração, comece pelo pai, mãe, avós e bisavós, escreva sem medir, não precisa reler. Apenas escreva, mencione o nome deles e desabafe, fale de suas dores, das suas angustias, das frustrações e o quanto lamenta tudo isso, fale de coração e de alma tudo que sente, nesse momento permita-se sentir raiva, permita-se chorar, grite ou simplesmente se sinta emocionado e feliz por conseguir expor o que é de mais precioso na sua vida, para você mesmo. Tenha a certeza que reverbera na sua história, na sua vida. No final da carta escreva a seguinte frase, sinta e escreva:


Sinto muito por todas as minhas dores, sinto muito por todo julgamento. Agora desnudo(a) meus sentimentos e sinto muito por tudo. Eu renuncio a toda obrigação imposta inconscientemente e ao papel de salvador da família, agora sou Eu e Eu em mim, através de meus pais e através de meus ancestrais, tomo a força que me cabe e os deixo em paz.


Gratidão por tudo!


Você pode queimar a cartinha, imaginando que toda aquela energia está sendo recebida por Deus, Deus na sua sabedoria, saberá como direcionar.

A segunda cartinha é ao Conselho Cármico – No dia 31 de dezembro – a primeira é importante, para que possamos nos direcionar ao Conselho mais conscientes e mais leves.

Para quem não sabe o Conselho Cármico é o nome atribuído a uma reunião de entidades cósmicas que fazem um balanço das ações humanas individuais. Quatro vezes ao ano, de três em três meses, esse Conselho se reúne e avalia o carma de cada ser humano. Durante o sono, sem que tenhamos consciência, o corpo astral apresenta-se ao Conselho e escolhemos o que queremos fazer ou não. Um ato de escolha que visa a aliviar o peso de carmas e propiciar o equilíbrio pessoal e o da humanidade. Os Mestres que o compõem são: Grande Diretor Divino, a Deusa da Liberdade, a Mestra Ascensa Nada, o Elohim Cyclopea, Palas Athena, Pórcia, Kuan Yin e Buda Vairochana.


Acenda uma vela e coloque intenção no seu desejo, escrevas as cartinhas em papel e de preferência de lápis, o grafite não irá cortar a energia em que coloca na escrita.

Como estamos em lua minguante, faça o pedido para banir as coisas ruins, peça que seja banido a tristeza, a escassez, as doenças, todas as formas de energias intrusas e negativas, banir tudo que já não é mais necessário na sua vida.

Diga na carta, sinto muito pelas minhas escolhas e peço gentilmente que sejam amorosos com você, com amor eu aprendo e com amor eu retribuo à humanidade.

Fale em voz alta – em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, eu (nome completo) invoco o Arcanjo Miguel para que leve esta carta ao Conselho Cármico”. Leia toda a carta, queime e finalize dizendo: “Está feito, está selado, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém”.

Que assim seja, gratidão! (profunda gratidão e faça uma reverência).


Se imagine envolto a uma grande esfera rosa, nessa esfera um grande lótus e receba silenciosamente esse amor.

OM MANI PADME HUM – Gratidão!

Essa é uma ferramenta muito importante, a simplicidade é o fator mais essencial para a realização das intenções, faça de coração.

Que Deus abençoe a todos, gratidão!

Selma Duarte Flávio
Terapeuta Sistêmica e Terapias Vibracionais para o Desenvolvimento Humano.

.

Participe do nosso encontro – Auto Sabotagem & Obesidade

Participe do nosso encontro – Auto Sabotagem & Obesidade

Conheça os 12 ensinamentos de São Francisco de Assis

São Francisco de Assim ensinou muito. Falou sobre fé, humildade, amor ao próximo, compaixão. Conheça os 12 ensinamentos de São Francisco de Assis, seu legado para a humanidade.

Quem foi São Franciso

Batizado com o nome de Francisco Bernardone e nascido na Itália em 1182, Francisco de Assis foi canonizado pela Igreja Católica em 16 de julho de 1228 devido ao seu estilo de vida, baseado nos ensinamentos da Bíblia: viver humildemente.

Além de ser conhecido pela vida de pobreza e humildade, São Francisco de Assis também é muito conhecido como padroeiro dos animais.

As maiores bençãos de São Francisco de Assis foram os ensinamentos deixados para nós, para que sejamos cada vez mais pessoas melhores para com o próximo e desta forma estar cada vez mais perto dos ensinamentos de Deus.

Os 12 Ensinamentos de São Francisco de Assis

Francisco de Assis, um dos santos mais conhecidos da religião católica deixou muitos ensinamentos para os cristãos e isso só mostra o quanto podemos aprender diariamente com São Francisco de Assis.

Conheça abaixo as 12 lições de vida que São Francisco de Assis deixou de legado para os cristãos.

Ensinamento 1

O que temer? Nada. A quem temer? Ninguém. Por quê? Porque aqueles que se unem a Deus obtém três grandes privilégios: onipotência sem poder; embriaguez sem vinho e vida sem morte.

Ensinamento 2

Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado… Resignação para aceitar o que não pode ser mudado… E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.

Ensinamento 3

Apenas um raio de sol é suficiente para afastar várias sombras.

Ensinamento 4

Ninguém é suficientemente perfeito que não possa aprender com o outro e, ninguém é totalmente destituído de valores que não possa ensinar algo ao seu irmão.

Ensinamento 5

Pregue o Evangelho em todo tempo. Se necessário, use palavras.

Ensinamento 6

A cortesia é irmã da caridade, que apaga o ódio e fomenta o amor.

Ensinamento 7

Para pregar a Paz, primeiro você deve ter a Paz dentro de você. Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz.

Ensinamento 8

Quem a tudo renuncia, tudo receberá.

Ensinamento 9

Não vos esforceis pelas honras do mundo, mas honrai o SENHOR.

Ensinamento 10

Tome cuidado com a sua vida, talvez ela seja o único evangelho que as pessoas leiam.

Ensinamento 11

Comece a fazer o que é necessário, logo estarás fazendo o possível… e, perceberás que estarás fazendo o impossível…

Ensinamento 12

Quem ler e entender o Evangelho em Espírito e Verdade, encontrará nele Deus e o céu, os Anjos e o próprio paraíso, tudo a nos esperar, aguardando que façamos a nossa parte, para recebermos o prêmio da felicidade.

Oração de Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.

São Francisco de Assis

Imagem Google

fonte rumodafe

O que é Kundalini

Kundalini é o poder do desejo puro dentro de nós. A energia de nossa alma e de nossa consciência. A emanação do infinito, da energia cósmica que vibra dentro de cada ser humano. Como energia criativa,o Kundalini pode ser imaginada a uma serpente enroscada e adormecida na base da coluna e, que ao ser despertada, expande de forma extraordinária nossa consciência.


Kundalini é a potencialidade que todos nós temos e somos capazes de ser.

O despertar da energia Kundalini nos conscientiza de nossas capacidades criativas e torna possível a nós , seres humanos, com identidades finitas, a oportunidade de nos relacionarmos com nossas identidades infinitas. Isto ocorre quando o nosso sistema glandular é ativado junto ao nosso sistema nervoso e estes são combinados para criar um movimento ou fluxo no fluído espinhal, numa sensitividade nas terminações nervosas. Nestas condições, o cérebro recebe os sinais e os integra obtendo como resultado, uma forte percepção que se expande numa tremenda claridade. Pode-se perceber os efeitos e os impactos de uma ação antes dela acontecer e assim, adquirimos o poder da escolha de agir ou não. A consciência nos dá esta escolha e a escolha nos dá liberdade.

Quando há um fluxo constante da Kundalini, é como se estivéssemos nos despertando de um longo cochilo. Deixamos de viver numa realidade imaginária e nos tornamos compromissados com nossos propósitos e metas, aproveitando muito mais os prazeres da vida.

O nosso sistema foi construído para sustentar o despertar da energia Kundalini, resta-nos saber se estamos usando-a em toda extensão desta potencialidade.

O fluxo da Kundalini é liberado a partir do Chakra do umbigo e sobe até o chakra da coroa, acima do topo da cabeça; daí, a energia começa a descer passando pelos chakras até a base de nossa coluna. Depois de alcançar o chakra raíz, ela volta para o centro do umbigo.

A ascensão da energia é o caminho para a liberação. É chegar a percepção de que a realidade de Deus está dentro de cada um de nós. A ascensão da Kundalini é o desenroscar da consciência Divina, o testemunho da realidade do poder ilimitado que é a essência de nossas almas.

A descida da kundalini é o caminho da manifestação. Os chakras se abrem nesta descida. E assim que os chakras se abrem e nossa essência é consolidada em nosso caráter, os nossos dons são integrados em nossos comportamentos e ações. Talentos se tornam uma parte prática em nossas vidas.

O que nos referimos como manifestação aqui são as ‘vibrações’ que é uma tradução aproximada do termo sânscrito Chaitanya. Chaitanya (vibrações). É a força integrada de nosso ser fisiológico, mental, emocional e religioso. Portanto, a descida da energia Kundalini simboliza esse despertar de nosso potencial e nos traz a consciência de Deus para todas as nossas atividades cotidianas.

A iluminação ou auto-realização é conquistada quando o ciclo de ascensão e descida se completa. 

A Auto-realização é o nosso primeiro encontro com a verdadeira realidade,o despertar da Grande Mãe dentro de nós e que irá cuidar de nós, dando toda proteção que precisamos.

A kundalini nos cura, nos melhora e nos confere todas as bênçãos. Ela varre para fora de nossa realidade, todas as nossas preocupações dos níveis mais grotescos.

Fonte Livro 40 dias no Deserto

*imagem Google

Arcanjo Miguel, nosso Protetor

 


Pensando em tanta agressividade no mundo de hoje, trago a vocês a oração se São Miguel, extremamente poderosa para qualquer momento de perigo. Podemos chamá-lo a qualquer momento de angustia e pedir a sua proteção antes de sair de casa.

São Miguel é nosso protetor, Deus nos concede seu auxilio. Para os mais sensíveis poderá até sentir a sua presença – uma energia amorosa, forte  e protetora.

Usem dessa oração sem medo, com ambulância, se conecte com esse poder divino, a proteção que todos nós precisamos.

 

Em quais momentos da nossa vida podemos chamar o Arcanjo Miguel?

  • Antes de sair de casa.
  • Antes de dormir.
  • Antes de viajar.
  • Quando sentimos que estamos em perigo.
  • Para proteger nossa família, nossos amigos, nossa casa.

Quando queremos que ele nos proteja, nós precisamos chamá-lo.

E como podemos chamá-lo?

Falando seu nome ou fazendo a oração para proteção. Então ele vem rapidamente nos proteger.

 

Essa simples oração é capaz de fazer verdadeiros milagres.

Oração de Proteção
 

São Miguel à frente,
São Miguel atrás,
São Miguel à direita,
São Miguel à esquerda,
São Miguel acima,
São Miguel abaixo,
São Migue
l, São Miguel,
aonde quer que eu vá.
Eu sou o seu amor que protege aqui!
Eu Sou o seu amor que protege aqui!
Eu Sou o seu amor que protege aqui!

Assim seja, gratidão por tudo !

 

Sempre agradeça a São Miguel, quando faz a sua oração – Você também pode imaginar São Miguel passando sua espada de fogo dourado em sua volta ,peça para que leve todo o mal para o fogo sagrado e o revista com sua armadura azul anil.

Quando sentimos que estamos em perigo, nós devemos chamá-lo rapidamente, falando ou pensando assim:

                                                                                             

Arcanjo Miguel, me protege!

 

Quando queremos que o Arcanjo Miguel proteja nossa casa ou nossa família, ou que nos proteja a qualquer momento, devemos imaginar que ele está chegando e nos protegendo.

 

 

“A Oração de São Miguel Arcanjo é muito especial, é considerada uma oração poderosa contra o mal. O Arcanjo Miguel liderou o exercito de anjos que combateu e venceu lúcifer quando ele se revoltou contra Deus, por isso a oração de São Miguel Arcanjo é uma oração forte, que deve ser feita quando você estiver precisando de ajuda e força nos desafios da sua vida.

São Miguel é um arcanjo e também é um dos três anjos mencionados pelo nome nas Escrituras, sendo os outros dois São Rafael e São Gabriel. São Miguel Arcanjo é mencionado duas vezes no Antigo Testamento, e duas vezes no Novo testamento.

No Apocalipse encontramos a referência mais dramática sobre São Miguel Arcanjo. Aqui João narra a grande batalha no céu, quando os anjos perversos, comandados por lúcifer, se revoltaram contra Deus, e como São Miguel Arcanjo, no comando dos anjos fiéis, derrota os anjos do mal e os expulsa.

Essa passagem da bíblia foi pintada por muitos artistas importantes e o grande poeta John Milton, no Livro VI do livro Paraíso Perdido, reconta a famosa luta. Devido a esta vitória, São Miguel Arcanjo é reverenciado na liturgia tradicional da Santa Igreja Católica como o protetor da Igreja.

Na Igreja Oriental, São Miguel Arcanjo é colocado sobre todos os anjos.

São Miguel Arcanjo é o patrono especial das pessoas doentes, dos marinheiros, e dos policiais. na Ásia Menor muitas nascentes curativas foram dedicados a São Miguel Arcanjo.

O nome Miguel é uma variação de Mikhael, que significa em hebraico, “Quem é como Deus?”.

 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo… 
Salmo 91.

 

Houve uma grande batalha: Miguel e seus anjos lutaram contra o Dragão. O Dragão também lutou, junto com seus anjos, mas foram derrotados, e não houve mais lugar para eles no céu. – Apocalipse, 12, 7-8

 

São Miguel está presente em todas as religiões e presente em nossas vidas quando permitimos.

 

 

Mais uma oração poderosa de São Miguel

ORAÇÃO DE SÃO MIGUEL ARCANJO

Príncipe Guardião e Guerreiro defendei-me e protegei-me com Vossa Espada.
Não permita que nenhum mal me atinja.
Protegei-me contra assaltos, roubos, acidentes e contra quaisquer atos de violência.Livrai-me de pessoas negativas e espalhai vosso manto e vosso escudo de proteção em meu lar, meus filhos e familiares. Guardai meu trabalho, meus negócios e meus bens.
Trazei a paz e a harmonia.
São Miguel Arcanjo, defendei-nos neste combate, cobri-nos com o vosso escudo contra os embustes e ciladas do demônio.Instante e humildemente vos pedimos,
que Deus sobre ele impere e vós, Príncipe da milícia celeste, com esse poder divino, precipitai no inferno a Satanás e aos outros
espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perdição das almas.

Amém.

 

 

 

Divina Mãe Kuan Yin – Conexão Kuan Yin


“Tomo refúgio em Buda, Dharma e Sanga.
Abstenho-me de todas as ações negativas de corpo, palavra e mente.
Acumulo todos os dharmas virtuosos do universo em benefício de todos os seres”
Kuan Yin

Você pode ver seu rosto quase em qualquer lugar onde os chineses moram.  A Deusa da Misericórdia (a Deusa da Compaixão) é a mais popular e difundida entre as divindades do Budismo Chinês.  No entanto, somente agora o Ocidente começa a saber dela. Ela é conhecida como Kuan Yin, Quan’Am (Vietnã), Kannon (Japão), e Kanin (Bali), ou Kwan Yin.

Ela é a encarnação da compassiva amorosa bondade. Como a Bodhisattva da Compaixão, Ela ouve os lamentos de todos os seres. Kuan Yin tem uma grande semelhança com a Maria do Cristianismo, a Mãe de Jesus, e com a deusa tibetana Tara.  Sua influência se estende desde a criação até os desejos profundos de toda mulher que anseia ser mãe.

Em momentos de doença e problemas, a primeira invocada é ela. Ela é geradora, criadora, compaixão viva, amiga e intercessora.  Ela é a grande deusa da vida em si mesma.  Kuan Yin significa “alguém que ouve os lamentos do mundo.”  Suas maiores virtudes são: misericórdia, modéstia, valentia, justiça e sabedoria. Uma aliada próxima de Kuan Yi é Tara (estrela), deusa da proteção e compaixão, venerada pelos Budistas Tibetanos, Mongolianos e Nepaleses.   “Tara é a bodhisattva-deidade arcangélica e arquetípica que representa a atividade miraculosa de todos os budas. No mito, ela nasce das lágrimas de compaixão de Avalokitesvara ou de seu voto de ser iluminada e permanecer mulher…
Há muitas manifestações de Tara, “como muitos seres requerem”, sendo que a mais famosa é a Tara Branca pacífica, que traz proteção, vida longa e paz, e a Tara Verde dinâmica, que vence todos os obstáculos e salva os seres de situações perigosas.”

É o Bodhisattva Celestial da Compaixão, é a mestra da hierarquia divina que trabalha na frequência da Misericórdia, Compaixão e Amor Incondicional. Há uma confiança implícita na graça salvadora e nos poderes curadores de Avalokitesvara Kwan yin. A invocação de seu nome a traz imediatamente ao lugar do chamado. Desejo que a energia de Avalokitesvara Kwan Yin possa invadir seu coração agora como um perfume doce e suave e que você possa receber esta energia amorosa como uma dádiva Divina.

Kwan Yin é uma divindade chinesa – a deusa da compaixão e misericórdia, venerada em diversos países da Ásia. No Budismo corresponde ao Bodhisattva Avalokitesvara (em tibetano: Cherenzig), que representa a suprema compaixão de todos os budhas. No Japão esta personificação da caridade é representada como uma divindade masculina, chamada Kannon Bosatsu.

Kwan Yin é a Salvadora Compassiva

 

. Por todo o Oriente altares dedicados a esta Mãe da Misericórdia podem ser achados em templos, casas e grutas nos caminhos. Orações à Presença dela e à sua Chama estão incessantemente nos lábios dos devotos à medida que buscam orientação e socorro em todas as áreas da vida.

Muito presente na cultura oriental, Kwan Yin tem despertado interesse em seu caminho e ensinamento entre um número crescente de devotos ocidentais, que reconhecem a poderosa presença da “Deusa da Misericórdia”, junto com a da Virgem Maria, como iluminadora e intercessora da Sétima Era de Aquário.

A longa história de devoção a Kwan Yin mostra-nos o caráter e o exemplo desta Portadora de Luz que não somente dedicou sua vida a seus amigos, mas sempre assumiu o papel de intercessora e redentora. Durante séculos, Kwan Yin simbolizou o grande ideal do Budismo Mahayana em seu papel de bodhisattva (chinês p’u-sa), literalmente, “um ser de BDI, ou iluminação”, destinado a se tornar um Buda, mas que renunciou ao êxtase do nirvana, como um voto para salvar todas as crianças de Deus.

 

 

O nome Kwan Ce Yin, como é frequentemente chamada, significa literalmente “aquela que considera, vigia e ouve as lamentações do mundo”. Segundo a lenda, Kwan Yin estava para entrar no céu, porém parou no limiar ao ouvir os gritos do mundo.

 

Existe ainda muito debate acadêmico relativo à origem da devoção à bodhisattva feminina Kwan Yin. Ela é considerada a forma feminina de Avalokitesvara, bodhisattva da compaixão do Budismo indiano, cuja adoração foi introduzida na China no terceiro século.

Embora Kwan Yin tenha sido retratada como um homem até o século X, com a introdução do Budismo Tântrico na China no século oitavo, durante a dinastia T’ang, a imagem da celestial bodhisattva como uma bela deusa vestida de branco era predominante e o culto devocional a ela cresceu em popularidade. No século nono havia uma estátua de Kwan Yin em cada monastério budista da China.

 

Apesar da controvérsia acerca das origens de Kwan Yin como um ser feminino, a representação de um bodhisattva, ora como deus, ora como deusa, não é inconsistente com a doutrina budista. As escrituras explicam que um bodhisattva tem o poder de encarnar em qualquer forma – masculino, feminino, criança e até animal – dependendo da espécie de ser que ele procura salvar. Como relata o Sutra do Lótus, a bodhisattva Kuan Shih Yin, “pelo recurso de uma variedade de formas, viaja pelo mundo, conclamando os seres à salvação”.

Kwan Yin, representa a grande força da Mãe Universal no Oriente – assim como Mãe Maria, no Ocidente. Antes de Saint Germain, era ela a Chohan do Sétimo Raio. Hoje, sustenta os atributos do Raio Lilás (violeta e rosa) do perdão e da misericórdia divina, irradiado de seu Templo da Misericórdia sobre Pequin, na China.

São ilimitados o seu amor e compaixão pelos homens. A Deusa da Misericórdia, que é mediadora do Conselho Cármico, está sempre pronta a atender os desejos dos seres humanos, concedendo-lhes mais auxílio do que em verdade merecem.

O Raio Lilás ampara os seres que transgrediram gravemente as leis universais e não conseguem suportar os retornos cármicos, necessitando de uma energia mediadora ou intercessora entre o mundo das criações e a Grande Lei.

Também conhecida como deusa da misericórdia, representa a grande força da Mãe Universal no Oriente como Mãe Maria no Ocidente. Ela é o Bodhisattva Celestial da Compaixão, é a Mestra da Hierarquia Divina que trabalha na frequência da Compaixão e Amor Incondicional. Bodhisattva é um ser humano que atingiu o estado de perfeição e ascensão, tendo se libertado da roda da reencarnação e do ciclo de samsara (ciclo de reencarnações sucessivas visando o aprendizado e ascensão do ser, relacionados a lei do carma – ação e reação).

Kwan Yin já era conhecida no Extremo Oriente antes do advento do Budismo. Dentre suas várias encarnações na China, a mais conhecida foi como filha do Imperador Miao Chunang Wang da Dinastia Chou, 700 a.C. Diz a lenda que ela se determinara a seguir uma vida religiosa, tendo se recusado a casar, apesar das ordens do seu pai, e das súplicas dos seus amigos. Aí, por ordens do seu pai, foi submetida às mais árduas tarefas, que de forma alguma enfraqueceram o seu zeloso amor por Deus.

Enraivecido pela sua devoção, seu pai, ordenou que fosse executada, mas quando a espada a tocou partiu-se em mil pedaços. Ele então ordenou que fosse asfixiada, mas quando a sua alma deixou o seu corpo e desceu até o inferno, transformou-o num paraíso. Transportada numa flor de lótus até a Ilha de P’ootoo, próxima a Nimpo, aí viveu durante nove anos, curando os enfermos e salvando marinheiros do naufrágio.

Certa vez, quando soube que seu pai estava muito doente, cortou um pedaço da carne dos seus braços, e usou-a como um remédio que lhe salvou a vida. Em gratidão, ele ordenou que uma estátua fosse erigida em sua honra, comissionando ao artista que a representasse com ‘olhos e braços completamente formados’. Entretanto, o artista compreendeu mal, e até hoje Kwan Yin algumas vezes aparece representada com ‘mil braços e mil olhos’, sendo capaz dessa forma, de olhar e cuidar de todo o seu povo sendo também chamada de Avalokitesvara.

 

Ela hoje é madrinha da nação chinesa, onde se encontra altares em todos os lugares, como lojas, restaurantes, até mesmo em para-lamas ou painéis de carros. Há uma confiança implícita na graça salvadora e poderes curadores de Kwan Yin. Acredita-se que até mesmo a mera invocação de seu nome a traz imediatamente ao lugar do chamado.

Kwan Yin fez o voto de bodhisattva, para trabalhar junto às evoluções deste planeta e deste sistema solar para lhes mostrar o caminho dos Ensinamentos dos Mestres Ascensos. Ela diz que enquanto houver uma única alma sofrendo na Terra, Ela estará presente!

                                                                               
 Kuan Yin

Na mitologia chinesa, Kuan Yin ?????  é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia. Ela existiu como pessoa, igual a todos nós e somente depois de sua morte foi transformada em Deusa. Também conhecida como Quan’Am (no Vietnã), Kannon (no Japão), e Kanin (em Bali). Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China. E é venerada em todo o mundo por milhões de pessoas, que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual.

Esta Deusa enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe. A MESTRA KUAN YIN TORNOU-SE A INCORPORAÇÃO DA COMPAIXÃO. Ela nos diz que se você cantar seu mantra diariamente, cultivará a compaixão que curará o mundo das mais dolorosas feridas.

Kuan Yin, cujo nome significa “aquela que ouve os lamentos do mundo” é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela vive em uma ilha paradisíaca de P’u T’o Shan, onde ouve todas nossas preces. Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos homens.

Kuan Yin é representada com um dragão, pois ele é o símbolo mais antigo da alta espiritualidade, a sabedoria, a força e os poderes divinos de transformação.
Algumas vezes, Kuan Yin é representada como uma figura muito armada, tendo em cada mão um símbolo cósmico diferente ou expressando uma posição ritual específica (mudras). Isto caracteriza a Deusa como a fonte e alimento de todas as coisas. As mãos dela formam frequentemente o Yoni Mudra, simbolizando o útero como a porta para entrada para este mundo pelo princípio feminino universal.

Outras vezes, Kuan Yin é representada sentada sobre uma flor de lótus. Nas pinturas dos artistas tibetanos, linhagens de Budas e homens santos também aparecem flutuando sobre flores de lótus – uma representação dos tronos da suprema espiritualidade. Nas escrituras budistas do Tibet, conta-se que o pequeno Buda já podia andar ao nascer e que, a cada passo, brotavam flores de lótus de suas pegadas – um sinal de sua origem divina. Hoje, muitos monges e fiéis dessa religião visualizam essa mesma cena enquanto caminham, imaginando que flores de lótus surgem debaixo de seus pés. Com essa prática meditativa, acreditam eles, estariam espalhando o amor e a compaixão de Buda simbolizados pela flor.

Na teologia Budista Kuan Yin é algumas vezes representada como capitã do “Barco da Salvação”, guiando as almas ao Paraíso Oeste de Amitabha, a Terra Pura, a terra das bênçãos, onde as almas podem renascer para continuar recebendo instruções até alcançar a iluminação e a perfeição.

Ela é também uma das quatro Bodhisattvas (P’u-sa em chinês), junto com Samantabhadra, Kshitigorha (Di-cang) e Manjushiri (Wen-shu) e em seu aspecto masculino se identifica com o Bodhisattva Avalokiteshvara, a quem em Tibetano se chama Chenresi: “Quem ouve e chora o mundo”.

Exatamente igual a Ártemis, Kuan Yin é uma deusa virgem que protege todas as mulheres e crianças. A simplicidade que esta Deusa da Clemência gera ao seu redor e entre seus devotos, é de um forte sentimento de fraternidade universal. Seus padrões morais e humanos tendem a nos conduzir para nos tornarmos mais compassivos e misericordiosos.

Kuan Yin aparece nas nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos. Você se importa pelos sentimentos dos outros? Ou não se interessa? O que lhe afasta da compaixão? Você é daquelas pessoas que feri antes de ser ferida? Tem medo de abrir seu coração? Compreende-se por compaixão a capacidade de ouvir, de dar aos outros e a si mesma um espaço para experimentar tudo que deve ser experimentado e sentido. Não fuja de seus sentimentos, a jornada da vida nos presenteia com inúmeras vivências, que devem ser degustadas nos fazendo desenvolver a compaixão por nós mesmos, assim como pelos outros. De tal modo, esta maneira, fácil e confortável de pensar, levará o mundo lentamente, mas inevitavelmente, a se tornar um lugar melhor.

Acredita-se que Kwan Yin frequentemente aparece no céu ou nas ondas para salvar aqueles que a invocam quando em perigo. Histórias pessoais podem ser ouvidas em Taiwan, por exemplo, de pessoas que a viram durante a Segunda Guerra Mundial aparecendo no céu como uma jovem, agarrando as bombas e cobrindo-as com as suas vestes brancas para que não explodissem.

Ela passou por numerosas encarnações antes de sua ascensão há milhares de anos e aceitou o voto de bodhisattva para ensinar aos filhos de Deus não ascensionados como equilibrar seus carmas e cumprir seus planos divinos com serviço amoroso à vida e a aplicação da chama violeta pela ciência da Palavra falada.

Kwan Yin é originária do planeta Vênus e chegou à Terra juntamente com a comitiva de Sanat Kumara há 16 milhões de anos, quando este tomava posse como Senhor do Mundo, na regência da Terra. Como Mestra de Saint Germain , ela o acompanhou e inspirou em suas inúmeras missões na Terra, com a intenção de ajudar a humanidade em sua elevação.

Nos momentos de grave necessidade, eleve a sua mente até Kwan Yin, emita o mantra “Om Mani Padme Hum” e faça o seu pedido com fé…

“Te suplico minha Mãe, tenha compaixão, cure-me de todas as mágoas que me faz sofrer. Cubra-me com suas vestes brancas, purifique meu coração, para que nele permaneça apenas o verdadeiro Amor”.

Fonte summit

Kuan Yin – Deusa de Mil Braços 20 de Março, seu aniversário



                                                

 

 


Bodhisattva Kuan Yin – Deusa de Mil Braços*

Há uma dança impressionante chamada Thousand-Hand Guan Yin ou As Mil Mãos Guan Yin, cuja realização é realmente surpreendente, levando-se em conta que é necessária uma grande coordenação. Além disso, todas as bailarinas são dotadas da deficiência surdo-mudez. Baseando-se apenas nos sinais dos formadores que se encontram nas quatro esquinas do cenário, estas extraordinárias bailarinas oferecem um grande espetáculo visual.

Sua estréia internacional foi em Atenas nas cerimônias de encerramento dos Jogos Paraolímpicos de 2004. No entanto já existia anteriormente no repertório dos chineses Deficientes Trupe Art Popular Performing que viajou para mais de 40 países.

Na Festa de gala da Primavera realizada pela Televisão Central da China em 2005, a dança Guan Yin de Mil Mãos foi apresentada. A obra, inspirada em uma estátua de buda, foi criada pelo famoso coreógrafo chinês, Zhang Jigang, e interpretada pelo Grupo Artístico de Portadores de Deficiências da China. A dança, a música exótica e, especialmente, o desempenho desses portadores de deficiência, fascinou os telespectadores. A sua primeira bailarina, Tai Lihua, tem 29 anos de idade e possui um BA pelo Instituto de Belas Artes de Hubei.

O coreógrafo Zhang Jigang é um dos criadores e realizadores artísticos mais renomados da China. Ele foi o diretor geral da coreografia da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Beijing de 2008. Ele também produziu muitas outras obras de dança, elogiadas pela crítica, tanto no país, quanto no exterior.

Ao se recordar do processo de criação, Zhang Jigang disse que nada foi fácil nos últimos anos e que, por várias vezes, quase abandonou o projeto. Ele nunca se sentiu tão pressionado como dessa vez, não pelas pressões externas, a pressão veio de seu próprio coração, porque queria ser bem sucedido.

O espetáculo de Zhang Jigang, que inclui o enredo e vários traços de dança, já encantou muitas pessoas com os efeitos visuais e sonoros realizados pelos dançarinos. Após assistir uma apresentação, um espectador disse que o espetáculo não tem paralelo.

“A técnica apresentada pelos dançarinos já superou a expectativa. O espetáculo Guan Yin de Mil Mãos representa a beleza da coreografia chinesa. Estamos muito contentes com o fato de que essa maravilha seja apresentada para o mundo.”

A mitologia

Na mitologia chinesa, Kuan Yin é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia. Kuan Yin ou Guanyin é o bodhisatva¹ associado com a compaixão tal como é venerada pelos budistas da Ásia Oriental, geralmente na forma feminina. No budismo chinês, Kuan Yin ou Guan Yin representa a compaixão ou misericórdia de todos os Budas

Ela existiu como pessoa, igual a todos nós e somente depois de sua morte foi transformada em deusa. Também conhecida como Quan’Am (no Vietnã), Kannon (no Japão), e Kanin (em Bali). Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China e é venerada como símbolo máximo da pureza espiritual. Ela vive em uma ilha paradisíaca de P’u T’o Shan, onde ouve todas as preces.

O nome Kwan Ce Yin, como é frequentemente chamada, significa literalmente “aquela que considera, vigia e ouve as lamentações do mundo”. Segundo a lenda, Kwan Yin estava para entrar no céu, porém parou no limiar ao ouvir os gritos do mundo.

Fonte michelechristine

 

No budismo, há três festivais anuais em honra a  Kuan Yin, considerada a bodhisattwa da Compaixão:

1º – Aniversário Kuan Yin: 20 de março, considerado o dia de seu nascimento na Terra;

2º – Ascensão de Kuan Yin: 19 de julho, considerado o dia em que Kuan Yin fez sua promessa de renunciar ao Nirvana, faz a sua    ascensão e decide permaneccer na Terra enquanto ainda existirem seres sofrendo;

3º – Dia da Iluminação de Kuan Yin: 15 de outubro, dia em que se comemora o seu estado de Bodhisattva – (os Budhas – Seres Supremos e Despertos que libertaram-se da roda das reencarnações, e optam por permanecerem nas orbes terrestres com a finalidade de auxiliar e instruir).

Nestes dias, devotos de Kuan Yin se reunem para celebrar, enviar-lhe pedidos e agradecer pelos milagres e bençãos recebidas!

¹ Boddhisatva é um termo do budismo que refere-se aos seres de sabedoria elevada, que seguem uma prática espiritual que visa remover obstáculos e beneficiar os demais e refere-se também à todas as forças de pureza dentro da mente.


Prece do Natal


 

Senhor Jesus!…

Recordando-te a vinda, quando te exaltastes na manjedoura por luz nas trevas, vimos pedir-te a bênção.
Revela-nos se muitos de nós trazemos saudade e cansaço, assombro e aflição, quando nos envolves em torrentes de alegria.

Sabes, Senhor, que temos escalado culminâncias… Possuímos cultura e riqueza, tesouro e palácios, máquinas que estudam as constelações e engenhos que voam no Espaço! Falamos de ti – de ti que volveste dos continentes celestes, em socorro dos que choram na poeira do mundo, no tope dos altos edifícios em que amontoamos reconforto, sem coragem de estender os braços aos companheiros que recolhias no chão…

Destacamos a excelência de teus ensinos, agarrados ao supérfluo, esquecidos de que não guardaste uma pedra em que repousar a cabeça; e, ainda agora, quando te comemoramos o natalício, louvamos-te o nome, em torno da mesa farta, trancando inconscientemente as portas do coração aos que se arrastam na rua!

Nunca tivemos, como agora, tanta abastança e tanta penúria, tanta inteligência e tanta discórdia! Tanto contraste doloroso, Mestre, tão-só por olvidarmos que ninguém é feliz sem a felicidade dos outros… Desprezamos a sinceridade e caímos na ilusão, estamos ricos de ciência e pobres de amor. É por isso que, em te lembrando a humildade, nós te rogamos para que nos perdoes e ames ainda… Se algo te podemos suplicar além disso, desculpa o nada que te ofertamos, em troca do tudo que nos dás e faze-nos mais simples!…

Enquanto o Natal se renova, restaurando-nos a esperança, derrama o bálsamo de tua bondade sobre as nossas preces, e deixa, Senhor, que venhamos a ouvir de novo, entre as lágrimas de júbilo que nos vertem da alma, a sublime canção com que os Céus te glorificam o berço de palha, ao clarão das estrelas:

 

– Glória a Deus nas alturas, paz na Terra, boa vontade para com os homens!

 

Autor: Emmanuel
Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Antologia Mediúnica de Natal.