Pandemia: Como lidar com o que não podemos controlar

COMO PASSAR ESSE DESAFIO COM A PANDEMIA.

Levanta cedo, toma café, leva os filhos pra escola, trabalha, trânsito. Enfim, rotina. E de repente tudo muda.  A notícia é Covid-19, vírus que veio da China, e causou a morte de milhares de pessoas, situação que sai totalmente do nosso controle; nos roubando a opção de aceitar ou não passar por isso.

Está aqui e é de fato, mas como podemos manter o equilíbrio emocional em um momento como esse?

Posição

A palavra de ordem é: Cautela

omo manter a cabeça saudável?

Já são tantas dores emocionais para lidar no dia a dia, que segurar mais esta é um grande peso.


Falo com todo respeito a cada um de vocês.

Não precisa ser super heróis; estamos sim vulneráveis, apenas precisamos passar por mais um desafio, um desafio agora que não é apenas de um, mas de todos e ao mesmo tempo. Passar esse desafio com o máximo de equilíbrio emocional que conseguir e se porventura for contagiado, superá-lo sem maiores sequelas.

Para isso é necessário compreender mais um pouco. Assim trago 3 exercícios para ajudá-los a entender o que é energia do medo, sair e deixar a energia do amor transformar esse momento, e todos os momentos em que necessitar.

Acesse o vídeo, você vai ter compreensão e entendimento, passo a passo, de cada meditação.

Se estiver em pânico mesmo depois desse exercício, pode falar comigo, envie um e-mail contanto sua situação e deixe seu WhatsApp, para que eu possa responder e lhe indicar um floral para ajudá-lo nessa transição.

Agradeço a todos!

RECITE:  – Terra amada, assumo minha parcela de responsabilidade ao que acontece aqui.

– Eu sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata(o).

FIQUEM COM DEUS!

Espalhe a todos, esse texto, assim podemos ajudar muito mais.

Selma Flavio – CNT-SP 0879 – Terapeuta / Constelação Familiar e Desenvolvimento Pessoal
Cursos – Workshop – Palestras – Desenvolvimento Pessoal

Contato direto:
Rede Social – TerapiaDesenvolvimentoPessoal
Através do formulário abaixo ou pelo WhastApp 11 97387314WhastApp pelo seu computador

Acupuntura e Reiki agora têm explicação científica


Pesquisadores avaliam efeitos e mecanismo de terapias alternativas em animais de laboratório

 

Matheus Lopes Castro

Ricardo Monezi testou o Reiki em ratos com câncer   (Ilustração: Matheus Lopes)

Pesquisas recentes comprovam efeitos benéficos e até encontram explicações científicas para acupuntura e reiki. Estudos sobre o assunto, antes restritos às universidades orientais, ganharam espaço entre pesquisadores americanos, europeus e até brasileiros. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma denominação especial para esses métodos: são as terapias integrativas.

Um artigo sobre o mecanismo da acupuntura contra a dor foi publicado por pesquisadores da Universidade de Rochester na revista Nature Neuroscience em 30 de maio. Criada há quatro mil anos, a prática consiste na aplicação de agulhas em pontos do corpo. Pela explicação tradicional, ela ativa determinadas correntes energéticas para equilibrar a energia do organismo.

Reprodução/ Shutterstock

Cientificamente, as agulhas teriam efeitos no sistema nervoso central (cérebro e espinha dorsal). As células cerebrais são ativadas e liberam endorfina, um neurotransmissor responsável pela sensação de relaxamento e bem-estar. O estudo dos nova-iorquinos descobriu uma novidade: a terapia, que atinge tecidos mais profundos da pele, teria efeitos no sistema nervoso periférico. As agulhas estimulam também a liberação de outro neurotransmissor, a adenosina, com poder antiinflamatório e analgésico.

No experimento com camundongos com dores nas patas, cientistas aplicavam as agulhas no joelho do animal. Eles constataram que o nível de adenosina na pele da região era 24 vezes maior do que o normal e que houve uma redução do desconforto em dois terços.

A equipe tentou potencializar a eficácia da terapia, colocou um medicamento usado para tratar câncer nas agulhas. A droga aprimorou o tratamento: o nível de adenosina  e a duração dos efeitos no organismo dos animais praticamente triplicou e o tempo de duração dos efeitos no organismo dos ratos também triplicou. Mas este método não poderia ser feito em humanos porque o medicamento ainda não é usado clinicamente. “O próximo passo é testar a droga em pessoas, para aperfeiçoá-la ou para encontrar outras drogas com o mesmo efeito”, diz Maiken Nedergaard, coordenadora do estudo.

Reiki

Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.

 

Ricardo Monezi

Imposição de mãos nos grupos “Controle-Luva” e “Impostação”, respectivamente (imagens retiradas do mestrado de Monezi)

Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo “impostação”, os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas.

“Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como ‘energia sutil’, de natureza não esclarecida pela física atual”, diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houve diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.

A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. “Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”. O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apneia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.

 

fonte: RevistaGalileu

 

 


Sessão com Reiki – consulte – Selma 11 973873144 – WhastApp
Vila Prudente – SP
www.selmaflavio.com.br


 

Desintoxica a sua energia sexual


É importante compreender que o ato sexual não é somente a troca de prazeres e fluidos, mas, principalmente a troca de energia umas com as outras. A intimidade é muito mais profunda que se aparenta, na atualidade é muito comum ver casais que saem apenas para transar, levar a vida de boa e aproveitar o momento, ignorando totalmente o que tem além desses encontros.

Mesmo quem diz insensível é capaz de absorver a energia do outro ou ser “vampirizado” – ele até pode acreditar que não sente nenhuma diferença – mas as pessoas qual convive diariamente sentirá com certeza. O que não percebem que alguns desconfortos estão relacionados com essas trocas sucessivas de parceiros (as), como a irritação, dores pelo corpo, cabeça, enjoos…. As mulheres ficam mais suscetíveis, dentro de seu ovário é descarregada cargas elevadas de detritos energéticos e emocionais.

Se pergunte: – O outro ficou bem e feliz e eu como fiquei?

 

O ato de ejacular é muito mais do que aparenta, além de colocar dentro do corpo (mesmo usando camisinha) o sêmen, o homem também descarrega toda sua carga energética. É só pensar um pouquinho o que você pode estar recebendo. Imagine um homem que acabou de conhecer, o que ele expele dentro de sua alma, mais necessariamente dentro de seu ovário – o ovário é a fonte e vida da mulher.

Desconhecendo as questões energéticas e as necessidades de limpeza, vai-se acumulando detritos astrais no corpo. Ao compartilhar nossa intimidade, compartilhamos tudo que nos refere, as questões emocionais principalmente como os medos, padrões de comportamento, inseguranças, questões espirituais.

É muito comum a carência afetiva e sexual dispor da facilidade da busca efêmera de preencher esse vazio, a cada troca dilacera cada vez mais o chakra cardíaco e o chakra básico, sem contar que é através do chakra umbilical que se é “roubada” suas energias. Não falamos nem mesmo em caráter do outro, estamos falando das suas questões energéticas e espirituais.

A intimidade que protege o parceiro, é a intimidade da confiança. Construindo elos ficando menos vulnerável aos ataques espirituais e perdas energéticas.

Quanto mais amoroso for a relação, mais amorosa será vida para todos.

 

Gosto de citar Lisa Chese Patterson 

Preste atenção a quem você compartilha sua energia íntima. A intimidade, a este nível se entrelaça sua energia sonora com a energia sonora da outra pessoa. Essas conexões poderosas, independentemente de quão insignificante você acha que eles são, deixe restos espiritual, particularmente dentro das pessoas que não praticam qualquer tipo de limpeza, físico, emocional ou de outra forma. Quanto mais você interagir intimamente com alguém, quanto mais profunda a ligação mais da sua aura está entrelaçada com o seu. Imagine a aura confuso de alguém que dorme com várias pessoas e leva em torno dessas múltiplas energias? O que eles podem não perceber é que os outros podem sentir a energia e que pode repelir energia positiva e atrair energia negativa em sua vida.

“Eu sempre digo, nunca durma com alguém que você não gostaria de ser” – Lisa Chese Patterson 

 

Não deixem de fazer amor, mas prestem atenção em suas energias. Tenha uma vida sexual feliz!

Selma D. Flávio Facilitadora em Constelação Familiar e Terapias Energéticas

 


Leia também – Dicas para limpar as energias


 

 

MANDALAS PARA COLORIR – cuide dos seu stress


 

O que é Mandala:

Mandala significa círculo em palavra sânscrito. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia, e universalmente a mandala é o símbolo da integração e da harmonia.

A arte de pinta-la promove profundo relaxamento, colaborando no combate ao stress. Concentre-se e procure a paz enquanto colori, na sinergia natural, as cores vão se revelando, atingindo níveis inconscientes da alma, tratando e harmonizando o seu stress.

Dica: Ouça uma musica tranquila, que lhe agrade. Mantras são bem indicados para esses momentos especiais. Um aroma  no ar, pode ser incenso, também eleva a vibração. Tudo facilita para se inquietar e cuidar de você!

Desejo um excelente momento!

Selma D. Flávio – Terapeuta Sistêmica e Vibracional
11 -973873144

 

 

 

 

 

 

Imagens pixabel

 


 

Dia Mundial da Conscientização do Autismo – 2 de Abril


Dia Mundial da Conscientização do Autismo

A data serve para ajudar a conscientizar a população mundial sobre o Autismo, um transtorno no desenvolvimento do cérebro que afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

Próximo Dia Mundial da Conscientização do Autismo 2 de Abril de 2017 (Domingo)

Origem do Dia Mundial do Autismo

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007, com o intuito de alertar as sociedades e governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer a todos.

O que é o Autismo?

O Autismo pertence a um grupo de doenças do desenvolvimento cerebral, conhecido por “Transtornos de Espectro Autista” – TEA.

Os sintomas do autismo são: fobias, agressividade, dificuldades de aprendizagem, dificuldades de relacionamento, por exemplo. No entanto, vale ressaltar que o autismo é único para cada pessoa. Existem vários níveis diferentes de autismo, até mesmo pessoas que apresentam o transtorno, mas sem nenhum tipo de atraso mental.

(google)

Autismo na visão espiritual

Segundo Bezerra de Menezes, no livro “Loucura e Obsessão”, muitos espíritos buscam na alienação mental, através do autismo, fugir do resgate de suas faltas passadas, das lembranças que os atormentam e das vitimas que angariaram nesse mesmo pretérito.

Esta temática visa recolher o máximo afim de irmos ao encontro quer do porquê da deficiência, da provação e expiação e da necessidade do conhecimento dos valores da vida reais.

A autora do livro “Vida Além da Vida” deixa-nos em suas experiências três casos;
Nessas, pelo que se vê, o ser/essência nada sofreu, encarando com naturalidade e compreendendo todos processos, mesmo os mais dolorosos.

1º caso – Minha mãe não me desejava. Certa vez tentou abortar e fiquei irado por ocasião do parto, porque ela pretendia divorciar-se do meu pai. Estou agora conscientizado de que parte do meu carma consiste em aprender a amar minha mãe, de qualquer maneira.

2º caso – Ao me ligar ao feto, dava-me conta de que minha mãe estava assustada, de início, posteriormente aceitou o processo com naturalidade.

3º caso – Foi uma experiência forte não desagradável, mas surpreendente o meu nascimento. Enviei mensagens à minha mãe para que ela encarasse tudo como sensação e não como dor. Percebia, de forma clara, as atitudes das outras pessoas. Eu estava muito feliz por assumir esta vida.

(livro “Loucura e Obsessão)

 Na psicossomática

A necessidade imediata de escapismo, grande dificuldade de lidar com o mundo denso. É mais fácil ficar fora de si, do que lhe dar com o cotidiano humano terrestre.

 

Visão Transcendental

Algumas crianças Índigo, Cristal ou Esmeralda,  podem ser confundidas com o autismo, pois são mais introvertidos e não muito sociáveis, confundidos são diagnosticados com a patologia.

 

Leia mais sobre o assunto CRIANÇAS ÍNDIGO e CRISTAIS

 

Quando abrimos a mente para novas informações temos a compreensão dos fatos com  visão mais consciente e ampla, proporcionando  possibilidades de transformar as histórias, dessa forma, enxergar saídas e respostas. 

         Selma D. Flávio

 


Ajuda Terapêutica e informações

Selma D. Flávio - Terapêutica Sistêmica e Vibracional 
11-97387.3144
www.selmaflavio.com.br

 


 

 

Mais cuidado com a postura em sala de aula


Sentar, levantar, gesticular, ficar horas em pé, escrever no quadro, corrigir provas, carregar livros pesados. Essas ações fazem parte do dia a dia dos professores. Segundo o escritor e psiquiatra Augusto Cury, educar é semear com sabedoria e colher com paciência, e esta sabedoria também deve estar ligada à saúde do professor. De nada adianta passar horas estudando e preparando aulas se a máquina que irá executar as atividades estiver com defeito. A professora e fisioterapeuta Fernanda Oaigen, de Florianópolis (SC), afirma que os docentes devem ter a consciência de que o corpo é seu instrumento de trabalho e que, por isso, necessita de cuidados.

A vice-diretora do Colégio Marista Santa Maria, de Santa Maria (RS), Andréa Oliveira Vieira, concorda com a fisioterapeuta e vê essa realidade na instituição em que trabalha. A escola é composta por 80 professores e 1,2 mil alunos, atendendo desde a educação infantil até o ensino médio. “Os professores trabalham em muitos lugares e acabam não tendo tempo para fazer atividade física. Percebo que eles não têm nem a cultura do cuidado com a saúde, [pois] utilizam o seu corpo mais do que podem e não fazem o que devem para prevenir as doenças”, explica.

Andréa conta que ela mesma já passou por isso quando atuava em sala de aula: foi diagnosticada com L.E.R (Lesão por Esforço Repetitivo) no punho, por carregar cadernos muito pesados todos os dias e escrever no quadro. “Tive que recorrer ao fisioterapeuta e fizemos um tratamento de oito meses. Fiquei curada, mas mudei meus hábitos. Passei a fazer frequentemente caminhadas e musculação.”

Ao identificar essa problemática e ver inúmeras reclamações sobre dores nas costas, o Colégio Marista Santa Maria realizou trabalhos preventivos, incluindo algumas atividades laborais com os professores. “Foi ensinado o que pode ser feito no começo, meio e fim das aulas para relaxar o músculo. Neste ano, em especial, estamos trabalhando com a temática ‘Saúde do Professor’, fazendo com que eles reflitam sobre projetos pessoais, profissionais e sobre a saúde do corpo”, afirma Andréa.

A gestora também lembra que, nos dias atuais, a exigência com os professores é muito grande. “Não basta mais só ter conhecimento do assunto. Ele [o educador] tem que pesquisar e trazer novidades aos alunos. Com esse bombardeio de informações que temos, a atualização do professor é primordial para ele se manter no mercado. Mas, com isso, não sobra tempo para cuidar da saúde e, então, vem a nossa parte em fazer com que eles entendam a importância de se cuidarem. Isso é um desafio, pois é preciso uma mudança mental dos professores”, comenta a vice-diretora.

Segundo Andréa, o maior índice de problemas posturais está em professores de séries iniciais, que precisam se agachar muito para atender aos alunos e muitas vezes pegá-los no colo. A fisioterapeuta Fernanda lembra de um caso próximo a ela: “A mãe de uma amiga era professora de educação infantil, e por ter que carregar as crianças no colo e sentar ‘de índio’ para as brincadeiras teve sérios problemas nas articulações e recorreu a tratamentos fisioterápicos.”

Fernanda afirma que os problemas posturais mais comuns que acometem os professores são as dores na região lombar, na coluna cervical, no ombro, no punho e no cotovelo. “As dores lombares e cervicais são sofridas em função de ficar muito tempo em pé, numa mesma posição. Já ombro, punho e cotovelo ficam por conta de escrever na lousa com a postura errada. Normalmente, a má postura tensiona a cervical, podendo originar essas patologias nos membros superiores”, explica.

Como prevenir?  

A fisioterapeuta afirma que é essencial ao educador fazer um trabalho de consciência postural, adotando atividades físicas como yoga, pilates, Reeducação Postural Global (RPG), musculação e caminhadas. “São diversas opções de atividades físicas que temos hoje em dia, e todas auxiliam na consciência corporal e postural. O professor deve tirar um momento do seu dia para cuidar do seu corpo e no intervalo das aulas é fundamental fazer alongamentos, principalmente na [região] lombar, nos membros posteriores e superiores”, comenta.

Fernanda é professora em uma escola técnica de Florianópolis (SC). Faz um mês que ela está em sala de aula e já sente dores na região lombar. “Dou quatro horas de aula e procuro me alongar no intervalo. Outra coisa importante é utilizar sapatos confortáveis. Normalmente, opto pelo tênis. Evito salto alto, pois eles tensionam a [região] lombar, e as rasteiras, que, por não terem salto nenhum, não amortecem o impacto na coluna. É importante o sapato ter um pouquinho de salto para fazer este amortecimento, sem prejudicar a coluna”, explica.

A seguir, acompanhe os principais cuidados que podem ser realizados durante a aula, elencados pela fisioterapeuta Fernanda Oaigen.

Na lousa

Ao escrever na lousa, é importante que a altura da mão não passe do ombro; o braço deve sempre permanecer em uma curvatura de 90º. Se esse limite for excedido, o ombro estará sofrendo um impacto que não é bom para seu melhor funcionamento, ocasionando problemas como bursites, tendinites, síndrome do impacto do ombro, entre outros. “Os movimentos repetitivos por si só já se encarregam de sobrecarregar vários músculos e tensionar a [coluna] cervical. Se executados com uma postura errada, prejudicarão ainda mais os membros superiores, neste caso”, conta a fisioterapeuta.

Em pé

É muito importante saber usar a postura a favor do corpo. O abdômen protege a região lombar. Portanto, enquanto estiver em pé, o abdômen deve estar contraído, pois dessa forma a região fica encaixada perfeitamente. “Quando os pacientes chegam até mim, a maioria não tem esta consciência, e então trabalhamos para que ele passe a contrair o abdômen quanto estiver em pé. O pilates é uma das atividades que ajuda muito nesse caso”, lembra Fernanda.

Outro problema é sobrecarregar o corpo em um membro só. Deve-se parar reto, com os dois pés segurando o corpo, pois ao pender para um lado apenas, prejudica-se o joelho e as articulações daquela perna que está sobrecarregada. Caminhar durante a aula também auxilia a evitar esse excesso de carga nos membros.

A fisioterapeuta recomenda que haja uma variedade de posições durante a aula, e que inclusive deve haver um momento reservado para sentar. Porém, todos esses movimentos devem ser feitos com a postura ideal para o seu corpo. “A falta de mobilidade é ocasionada por ficar muito tempo na mesma posição, dessa forma o músculo fica sem mobilidade e não é nutrido. Por isso, sentimos dor quando saímos daquela posição e adotamos outra.”

Ao sentar

Os professores costumam ficar muito tempo sentados para corrigir provas, estabelecer planos de aula e estudar o conteúdo que será dado em sala, entre outras atividades. Porém, neste momento deve-se dar atenção à maneira como está a coluna. Segundo Fernanda, o apoio da coluna tem que estar sempre na cadeira com a região lombar no encosto; os ossinhos do “bumbum” também devem estar encaixados na cadeira, assim como os braços devem formar um ângulo de 90º em cima da mesa e os pés devem ficar apoiados no chão. “Desta maneira, nenhum músculo será tensionado e a atividade poderá ser realizada corretamente”, completa Fernanda.

Fonte ProfissaoMestre

 


 

Saiba com você pode tratar dores nas costas, corpo, labirintite  e vias respiratórias com técnica natural, clique aqui.


 

FAÇA ÁLCOOL DE ALECRIM E ELIMINE GOTA, VARIZES, DOR MUSCULAR E CELULITE


APRENDA FAZER O ÁLCOOL DE ALECRIM E ELIMINAR A GOTA, VARIZES, DOR MUSCULAR E CELULITE

 

A celulite é, infelizmente, um problema comum, e as mulheres são mais propensas a ela com até 90% dos adultos que sofrem com isso. É composta de resíduos celulares, gordura e água, e aparece principalmente nos quadris e coxas. Ele cria inúmeras ondulações na pele.

As causas mais comuns de celulite são alimentos gordurosos, processados, fritos e cafeína. Numerosos profissionais de saúde natural sugerem que esta questão pode ser tratada de uma maneira simples e natural, usando ingredientes saudáveis.

Um dos mais eficazes remédios anti-celulite é o álcool de alecrim. Esta planta incrível tem inúmeros benefícios para a saúde e é muito fácil de preparar. Alecrim cresce em jardins, florestas, e pode até mesmo ser cultivado em uma panela em casa, ou comprado loja de produtos naturais.

O álcool de alecrim fornece vários benefícios nos seguintes problemas de saúde:

 

Celulite
Contra gripes e resfriados
Dor de pescoço
Golpes e contusões
Problemas circulatórios, peso das pernas, varizes
Previne a queda de cabelo
Dores musculares, entorses, dores nas articulações, lumbago, reumatismo

Aprenda como prepará-lo:

Você precisará:

1 raminho de alecrim fresco, folhas e flores, se possível
Álcool (de preferência 92% ou 96%)
1 recipiente de vidro

Instruções:

Você pode usar folhas secas e flores, mas os efeitos não serão os mesmos.

Se possível, pegue uma planta inteira e cortá-lo em pedaços pequenos. Em seguida, coloque no recipiente e cubra com álcool. Feche e deixe por 15 dias em um lugar escuro. Você pode deixá-lo assim até 40 dias, mas 15 são suficientes também.

Como usar:

Depois dos 15 dias coe-o e despeje no recipiente de vidro novamente e mantenha em um lugar escuro. Você deve aplicar essa mistura externamente nas pernas e partes do corpo antes de ir dormir, a fim de agir durante a noite. Os resultados são fantásticos