Homens e mulheres têm que viver juntos na terra


Homens e mulheres têm que viver juntos na terra, mas ainda não aprenderam como estar juntos e, no entanto, não perdendo sua individualidade, como ficarem juntos tanto que são quase um só, sem perturbar essa unidade nos assuntos mundanos.

Tanto o homem quanto a mulher podem se ajudar – e se o tipo certo de ajuda estiver disponível, não haverá necessidade do homem escapar para as montanhas, para as cavernas, para os mosteiros. Não há necessidade, porque você não pode encontrar um lugar melhor do que a sua casa.

Uma atmosfera amorosa, pessoas que o entendem, pessoas que entendem seu silêncio e sua meditação, andam de mãos dadas com o seu amor.

Mesmo se você entrar em meditação nas montanhas, você terá apenas uma asa. Você não será capaz de voar em direção ao sol.

A outra asa que você deixou no mundo, que poderia ter sido uma tremenda ajuda para você, e você poderia ter sido uma grande ajuda em troca.

Se um casal é iniciado em meditação juntos, eles estão realmente se casando pela primeira vez. Quanto aos seus outros certificados e contratos de casamento – eles não são válidos para mim.

Para mim, há apenas um certificado que a existência lhe dá – onde o amor e a meditação têm ajudado um ao outro, apoiando-se mutuamente e abrindo as portas do céu para o seu vôo, o vôo do sozinho para o sozinho.

– Osho.


Agenda
Dia 28 JUHO 2018-  “Relacionamentos Amorosos” – Vivência em Constelação Familiar 
Dia 11 AGOSTO – 2018  – Workshop “Seja Feliz, só para mulheres.”– Uma abordagem sistêmica, onde o reencontro é com você mesma.

Leia mais Quero participar

Informações 11 973873144 – blog@selmaflavio.com.br


 

Exponha os seus sofrimentos e você descobrirá que eles morreram


Algumas coisas morrem com a luz.

Se você puxar para fora da terra as raízes de uma árvore, elas morrerão.

Elas necessitam da escuridão, elas vivem na escuridão, na escuridão está a vida delas.

Assim como as raízes, o sofrimento também vive na escuridão.

A infelicidade tem de ser expressada. Compreenda uma coisa mais: foi de fora que você pegou as dores e as trouxe para dentro de si.

Por favor, volte com elas para o lado de fora. A dor não é interna; todas as dores são trazidas do lado de fora. Na medida em que você joga fora a dor, que a envia de volta para fora, de onde ela veio, a alegria começa a brotar dentro de você. A alegria está dentro. Ninguém a traz de fora. Ela não vem de fora, ela é a sua natureza, ela é você. Ela é a sua alma.

Se for jogado fora esse lixo que veio de fora e que tem sido acumulado, então a alma interna começará a expandir, começará a crescer. Você começa a ver a sua luz e a ouvir a sua dança, você começa a mergulhar na música mais interna.

Um pouco de coragem é requerida e você poderá abandonar o seu inferno – exatamente como alguém que se suja na rua e volta para casa para tomar um banho e a sujeira é lavada.

Da mesma maneira, a meditação é o banho e a dor é a sujeira.

Assim como depois do banho a sujeira foi lavada e você se sente fresco, da mesma forma você terá um vislumbre, sentindo dentro de si a alegria que é a sua natureza.

Osho em Além da Psicologia


Você quer sentir alivio e alegria? Saiba o que a terapia pode fazer por você, entrando em contato.

“As pessoas mais inteligentes são as mais sexuais.

“As pessoas mais inteligentes são as mais sexuais. A energia do amor é basicamente inteligência. Quando ama, a pessoa flui. Quando a pessoa está amando, se sente tão confiante que quase pode tocar as estrelas. É por isso que uma mulher se torna uma grande inspiração, um homem se torna uma grande inspiração.

Quando uma mulher é amada, ela imediatamente se torna mais bela, instantaneamente! Apenas um momento antes, ela era uma mulher comum, e se elevou quando o amor se derramou sobre ela, ela foi banhada por uma energia totalmente nova, uma nova aura formou-se ao redor dela. Ela caminha mais graciosamente, uma dança acontece a cada passo. Seus olhos agora possuem uma enorme beleza; sua face brilha, ela está iluminada. E o mesmo acontece com o homem .

Quando as pessoas estão em amor, elas atingem sua excelência. Não permita o amor, e elas permanecerão no mínimo. Quando as pessoas permanecem no mínimo, elas são burras, são ignorantes, e não se preocupam com a sabedoria. E quando as pessoas são ignorantes e burras e iludidas, elas podem ser facilmente enganadas.

Quando as pessoas são sexualmente reprimidas, amorosamente reprimidas, elas começam a almejar por outra vida. Elas pensam sobre o céu, o paraíso, mas elas não pensam em criar o paraíso aqui, agora.

Quando você está amando, o paraíso é aqui e agora. Então você não tem preocupações; então quem irá procurar o padre? Então quem vai se preocupar se deve haver um paraíso? Você já está nele! Você não está mais interessado. Mas quando a sua energia amorosa é reprimida, você começa a pensar: “Aqui não há nada”; você acha que a vida é vazia. Você vai ao padre e pergunta sobre o céu e ele pinta belas imagens do céu.

O sexo tem sido reprimido para que você possa se interessar por outra vida . E quando as pessoas estão interessadas em outra vida, naturalmente elas não estarão interessadas pela própria vida delas.

Esta vida é a sua única vida. A outra vida está escondida nesta vida! Ela não está contra esta vida, ela nunca abandona esta vida; ela está dentro dela. Volte-se para dentro – ela é isso!

Volte-se para dentro e você irá encontrar a outra também. Se você ama, você será capaz de sentir isso.”

Osho


 

TORNE-SE UM – POR OSHO


Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo. Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem – Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e beloEm seguida, você pode passar para um relacionamento.Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraído para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.

E eles não exploram um ao outro, eles compartilham.Eles não utilizam o outro.Em vez disso, pelo contrário, ambos tornam-se UM e desfrutam da existência que os rodeia.

Osho

 

 

* imagem carta do tarô de Osho

“acordar para a verdade de quem você é”


O propósito mais elevado desse corpo é o de “acordar para a verdade de quem você é”. Se for para um outro propósito, então o corpo é apenas o ” pijama do ser”- estamos apenas dormindo nele.
Mojji

A vida é o viver. Não é uma coisa, é um processo. Não há maneira de atingir a vida exceto vivendo-a, exceto estando vivo, fluindo, jorrando com ela. Se você está buscando o significado da vida em algum dogma, em alguma filosofia, em alguma teologia, essa é a maneira certa de perder tanto a vida quanto o significado.
A vida não está em algum lugar esperando por você, ela está acontecendo em você. Não está no futuro como um objetivo a ser alcançado; está aqui agora, neste exato momento – na sua respiração, circulando no seu sangue, batendo no seu coração.”
— Osho


 

O Amor Basicamente É Um Estado De Ser


A coisa real não é um relacionamento mas um estado; a pessoa não ama, mas é amor. Toda vez que eu falar sobre amor relembre disso: estou falando sobre o estado de amor. Sim, relacionamento é perfeitamente bom, mas ele vai ser falso se você não tiver atingido o estado de amor. Assim o relacionamento não é só uma pretensão, mas uma perigosa pretensão, porque ele pode ir enganando você: pode continuar lhe dando a noção de que sabe o que é amor, e você não sabe. O amor basicamente é um estado de ser: a pessoa não está amando, a pessoa é amor.
E esse amor surge não ao apaixonar-se por alguém. Esse amor surge indo para dentro – não caindo mas elevando-se, voando muito alto, mais alto do que você. É um tipo de ultrapassagem. Um homem é amor quando seu ser é silencioso: é a canção do silêncio. Um Buda é amor, um Jesus é amor – não em amor com uma pessoa em particular, mas simplesmente amor. Seu próprio clima é amor. E não é endereçado a alguém em particular, é espalhado em todas as direções. Qualquer um que chegue perto de um Buda o sentirá, será inundado por ele, será banhado nele. E ele é incondicionalmente assim.
O amor não dá nenhuma condição, nenhum ‘se’, nenhum ‘mas’. O amor nunca diz ”Preencha esses requisitos, então eu te amarei.” O amor é como respirar: quando acontece você é simplesmente amor. Não importa quem chegue perto de você, o pecador ou o santo. Quem quer que chegue perto de você começa a sentir a vibração do amor, é alegrado. O amor é doação incondicional – mas somente aqueles que têm são capazes de dar.”
Osho, The Guest

Lidando com os sentimentos negativos


O amor é sempre belo no começo, pois você não deixa que as suas energias destrutivas o afetem. No início você investe as suas energias positivas no amor; o casal combina as suas energias de modo positivo e as coisas vão de vento em popa. Mas, depois, pouco a pouco, as energias negativas começam a transbordar; você não pode retê-las para sempre.

E depois que a sua energia positiva chegou ao fim, a lua de mel termina e começa a parte negativa. Então o inferno abre as suas portas e a pessoa não consegue entender o que está acontecendo. Uma relação tão bonita, por que está indo por água abaixo?

Se a pessoa está alerta desde o início, é possível salvar a relação. Derrame sobre ela as suas energias positivas, mas lembre-se de que cedo ou tarde o negativo começará a vir à tona. E quando o negativo começa a aparecer, você precisa liberar a energia negativa quando estiver sozinho.

Tranque-se num quarto e dê vazão a toda essa energia; não há necessidade de despejá-la sobre a outra pessoa. Se quiser gritar alto e ficar com raiva, entre num quarto e feche a porta — grite, fique furioso, bata num travesseiro. Pois ninguém deve ser tão violento a ponto de atirar coisas nas outras pessoas. Elas não fizeram nada contra você, então por que você deveria atirar coisas nelas?

É melhor atirar tudo o que é negativo numa lata de lixo. Se se mantiver alerta, você se surpreenderá ao ver o que pode ser feito; e depois que o negativo for liberado, o positivo voltará a transbordar. O negativo só pode ser liberado na companhia do parceiro numa etapa posterior do relacionamento, quando ele já estiver muito bem estabilizado.

E mesmo assim, isso só deve ser feito como medida terapêutica. Só depois que os parceiros de uma relação estiverem muito alertas, muito positivos, consolidados num único ser e capazes de tolerar — e não apenas tolerar mas usar a negatividade do outro —, eles podem concordar em que já está na hora de serem negativos juntos também, como medida terapêutica.

Nesse caso, também, a minha sugestão é que deixem que isso seja algo muito consciente, não inconsciente; deixem que seja muito deliberado. Façam um acordo de que, toda noite, durante uma hora, vocês serão negativos um com o outro — façam disso um jogo —, em vez de serem negativos em qualquer lugar, a qualquer hora.

Porque as pessoas não são muito alertas — durante 24 horas elas não são —, mas durante uma hora vocês podem se sentar juntos e serem negativos. Aí será um jogo, será como uma terapia em grupo! Depois de uma hora, vocês dão a coisa por encerrada e não levam mais nada adiante, não deixam que isso interfira no seu relacionamento.

O primeiro passo: o negativo deve ser extravasado quando você estiver sozinho. O segundo passo: o negativo deve ser extravasado num determinado horário, com o acordo de que ambos liberarão o negativo. Só no terceiro estágio vocês dois podem ser realmente naturais, pois não haverá receio de prejudicarem o relacionamento ou se magoarem. A essa altura, vocês poderão ser positivos e negativos, e ambos têm a sua beleza, mas só no terceiro estágio.

Num determinado ponto do primeiro estágio, você começará a sentir que agora a raiva não irrompe mais. Você se sentará diante do travesseiro e a raiva não tomará conta de você. Isso leva alguns meses, mas um dia você descobre que ela não está mais fluindo, passou a não ter mais sentido, você não consegue mais ficar com raiva sozinho. Nesse ponto termina o primeiro estágio.

Mas espere até que a outra pessoa também sinta se o primeiro estágio chegou ou não ao fim. Se o primeiro estágio do parceiro também estiver completo, então o segundo estágio começa. Então, por uma ou duas horas — seja de manhã ou à noite, você decide — você estabelece um horário para expressar os seus sentimentos negativos deliberadamente.

Faça isso como se fosse um psicodrama, de modo impessoal. Você não precisa ser agressivo — você descarrega o que sente, mas não sobre a pessoa. Na verdade, você está simplesmente extravasando a sua negatividade. Não está acusando o outro, não está dizendo, “Você é ruim!”; está simplesmente dizendo, “Eu estou achando você ruim!” Não está dizendo, “Você me ofendeu!”; está dizendo, “Eu me senti ofendido!”

Isso é totalmente diferente, é um jogo deliberado; “Eu estou me sentindo ofendido, por isso descarrego em você a minha raiva. Você é a pessoa mais próxima de mim, por isso me serve de desculpa”. E o outro faz o mesmo.

Chegará um momento em que, mais uma vez, você descobrirá que essa negatividade deliberada não funciona mais. Vocês se sentam juntos durante uma hora e nada vem à tona em você, nem no seu parceiro. Então o segundo estágio está acabado.

Agora vem o terceiro estágio, e o terceiro estágio dura a vida toda. Agora vocês estão prontos para serem positivos ou negativos à medida que esses sentimentos aflorarem; vocês podem ser espontâneos.

É assim que o amor se torna um relacionar-se, torna-se uma qualidade do amar, torna-se o estado natural do seu ser.

Osho, em “A Essência do Amor: Como Amar Com Consciência e Se Relacionar Sem Medo”