A vida te provoca

O mestre, Bert Hellinger, faleceu em faleceu em 19/09/2019. O alemão que já foi padre, deixou o celibato e tornou-se psicoterapeuta e escritor. Tinha 93 anos, é conhecido mundialmente pela criação do método terapêutico “Constelação Familiar”.

Com tanto conhecimento no comportamento humano, estudioso e apaixonado pela verdade humana, nos deixou esse maravilhoso texto, onde nos leva a refletir e a perguntar, por que ainda vivo em algumas situações de conflitos. Reflita e aproveite essas palavras que podem ser curadoras.

“A vida decepciona-o pra você parar de viver com ilusões e ver a realidade.

A vida destrói todo o supérfluo até que reste somente o importante.

A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como “É”.

A vida vai retirar o que você tem, até você parar de reclamar e começar agradecer.

A vida envia pessoas conflitantes para te curar, pra você deixar de olhar para fora e começar a refletir o que você é por dentro.

A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.

A vida lhe tira do caminho e lhe apresenta encruzilhadas, até que você pare de querer controlar tudo e flua como um rio.

A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de “reagir”.

A vida te assusta e assustará quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.

A vida lhe distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.

A vida ri de você muitas e muitas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.

A vida quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar em ti.

A vida confronta você com rebeldes, até que você pare de tentar controlar.

A vida repete a mesma mensagem, se for preciso com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.

A vida envia raios e tempestades, para acorda-lo.

A vida o humilha e por vezes o derrota de novo e de novo até que você decida deixar seu ego morrer.

A vida lhe nega bens e grandeza até que pare de querer bens e grandeza e comece a servir.

A vida corta suas asas e poda suas raízes, até que não precise de asas nem raízes, mas apenas desapareça nas formas e seu ser voe.

A vida lhe nega milagres, até que entenda que tudo é um milagre.

A vida encurta seu tempo, para você se apressar em aprender a viver. A vida te ridiculariza até você se tornar nada, ninguém, para então torna-se tudo.

A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.

A vida te machuca e te atormenta até que você solte seus caprichos e birras e aprecie a respiração.

A vida te esconde tesouros até que você aprenda a sair para a vida e buscá-los.

A vida te nega Deus, até você vê-lo em todos e em tudo.

A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta…

Mas creia, isso é para que seu melhor se manifeste… até que só o AMOR permaneça em ti”.

Bert Hellinger

Junte-se a 5.506 outros seguidores

#SejaEstejaSorria #constelaçãofamiliar #SelmaFlavio #berthellinger #comportamento

Continuar lendo A vida te provoca

Desenvolvimento Pessoal

Treinamentos Corporativos – Cursos – Workshop – Palestras – Terapia Individual e Grupo.

Psicoterapia / Terapia Cognitivo-Comportamental/
Constelação Familiar Sistêmica e Empresarial / Terapia Floral

Inspiração

O olhar para dentro de mim, levou-me a olhar o outro, despertou-me a necessidade de mostrar o caminho e proporcionar transformações de vida.


Estratégia

Os atendimentos são voltados para o autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. As técnicas usadas caminham com a necessidade da busca na transformação interna, através do autoconhecimento libertando as amarras da vida.


Ferramentas

Psicoterapia / Terapia Cognitivo-Comportamental/
Constelação Familiar Sistêmica e Empresarial / Terapia Floral


Vamos construir algo juntos.

AGENDA E INFORMAÇÕES


Tratamento individual:

Angustia Apatia, Depressão, Desânimo, Cansaço, Stress, Mágoa, Medo, Melancolia, Síndrome do Pânico, Medos em Geral, Ciúmes obsessivo, Impaciência, Ansiedade, Insônia, Dificuldade de Concentração e Aprendizado, Ressentimentos, Dificuldades na vida.

E também:

Terapia de casal
Terapia para Adolescentes
Tratando a sua vida amorosa
Desenvolvimento pessoal
Terapia para os estados emocionais
Trabalhando a sua Prosperidade

Selma Flavio – Terapeuta Sistêmica
CTN – SP nº. 0879
blog@selmaflavio.com.br

55 11 973873144

Rua Visconde de Itaboraí , 360 Tatuapé – São Paulo, SP

CONTINUE NAVEGANDO EM NOSSO SITE, SEJAM MUITO BEM VINDOS!

Coletânea atualiza saberes sobre PICS. Primeiro número aborda florais

Medo, ansiedade, sintomas depressivos, sensação de impotência diante do desconhecido. De alguma forma esses sentimentos tornaram-se comuns na população mundial diante da pandemia do novo coronavírus, entre os que se isolam obrigatoriamente para se proteger dos  riscos de infecção e entre os que precisam estar na linha de frente do combate, nas unidades de saúde tentando salvar vidas ou em outras atividades essenciais, expondo-se ao vírus. Estudos  demonstraram em outras situações de adoecimento coletivo recente, como nas síndromes respiratórias por H1N1 e Ebola, por exemplo,  que a quarentena apresenta riscos à saúde mental, exigindo, então, um cuidado amplo e integral. O ObservaPICS dá sua contribuição diante do quadro emergente mundial, lançando a coleção Cuidado integral na Covid-19, sobre diferentes práticas integrativas e complementares com evidência de sucesso em cenários similares de sofrimento.

“Diante de uma pandemia que obrigou quarentena mundial sem precedentes, torna-se fundamental fortalecer  o corpo, a mente e o emocional, para lidar com esse novo desafio, às vezes negligenciado nos aspectos sociais e emocionais durante e após a epidemia”, explica a pesquisadora Islândia Carvalho, coordenadora do ObservaPICS. Ela lembra que a Organização Pan-Americana (Opas) e o Ministério da Saúde recentemente lançaram campanha sobre o assunto . “E é  nesse sentido”, completa,  “que buscamos analisar as evidências e experiências acerca das  Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)  que possam contribuir com o bem-estar, associadas à prevenção, promoção da saúde e ao tratamento biomédico”.

A terapia floral (TF) é uma dessas práticas, indicada para ajudar na estabilidade mental e emocional, tão necessária em situações como a vivida diante do risco de adoecimento mental coletivo. A TF abre a coleção Cuidado Integral na Covid-19, que o ObservaPICS está lançando para orientar, principalmente, profissionais de saúde com rotina de trabalho estressante e ampliado, que precisam de equilíbrio e fortalecimento físico, mental e emocional. Afinal, além de cuidar dos portadores do novo coronavírus e das populações que sofrem com os impactos da pandemia, lidam com o sofrimento pessoal, o distanciamento das suas famílias e perdas afetivas.

OMS reconhece ação dos florais desde 1950

Reconhecida desde a década de 1950 pela Organização Mundial de Saúde, a terapia floral vem ajudando na reabilitação de pessoas em sofrimento emocional. É baseada, principalmente, no conhecimento desenvolvido pelo médico inglês Edward Bach, daí existirem os florais de Bach.

Formado na medicina convencional, o médico acabou se interessando por tratamentos mais naturais. Concebia a doença como resultado da desarmonia entre o corpo, a mente, a alma e a personalidade. E viu, no estudo das essências extraídas das flores, a possibilidade de ajudar os indivíduos a alcançarem essa harmonia. As pesquisas de Bach aconteceram nas primeiras décadas do século XX e, graças a elas, os florais começaram a ser usados em maior escala.

Evidências no Brasil

No Brasil, os florais integram as 29 práticas integrativas e complementares reconhecidas pelo Ministério da Saúde, com aplicação por várias equipes de saúde em diferentes municípios e unidades do SUS, além de  estarem incluídos em projetos de pesquisa e extensão de universidades públicas.

“Frente à pandemia de Covid-19, a TF pode diminuir o sofrimento”, explicam as pesquisadoras Carla Luzia França Araújo, professora associada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEAN/UFRJ), Maria Júlia Paes da Silva, professora titular da Universidade de São Paulo (EEUSP), e Vanessa Damasceno Bastos, professora substituta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEAN/UFRJ). Elas assinam a publicação Terapia Floral: equilíbrio para emoções em tempo de pandemia, que abre a coletânea produzida especialmente para a página especial do ObservaPICS. “Pessoas deprimidas têm o seu sistema imunológico enfraquecido e, consequentemente, são mais suscetíveis ao contágio de doenças”, lembram.

O documento produzido pelas três pesquisadoras reúne informações conceituais e faz uma revisão na literatura, considerando resultados de estudos publicados nos últimos 14 anos em periódicos científicos. Quatro deles são destacados: um sobre a experiência dos florais em gestantes, para alívio da dor e ansiedade durante o trabalho de parto, outro que investiga o efeito de quatro florais em pessoas ansiosas, um terceiro que aborda a terapia floral como alternativa ao tratamento de indivíduos com sequelas psicológicas decorrentes de violência familiar e um quarto que analisa a eficácia dos florais e de outras práticas no controle de sintomas na menopausa. Em complemento, o documento lista florais com a respectiva indicação, como exemplo do uso voltado ao equilíbrio físico, mental e emocional.

Carla Luzia, Maria Júlia e Vanessa lembram, com base em outros autores, que as essências florais não agem sobre a bioquímica do corpo, não substituindo alimentos e medicamentos. Também não interferem na ação dos remédios.   explicam.

Uso durante a pandemia

Do ponto de vista prático, como usar a terapia floral na rotina dos profissionais de saúde diante da pandemia de Covid-19? “A recomendação é que equipes do SUS que  têm experiência com uso de TF possam oferecer  o suporte aos colegas que estão na linha de frente da assistência às vítimas do novo coronavírus, como também aos que atuam na atenção primária, lidando diretamente, nas comunidades, com a aflição das famílias”, esclarece  Islândia Carvalho, coordenadora do ObservaPICS. Profissionais interessados na terapia floral que não contam com esse tipo de atendimento na rede de saúde onde atuam poderão buscar grupos de apoio com oferta da terapia, a exemplo do que oferece a Rede Cuidar Enfermagem, apoiada pelo observatório.

  • Para leitura complementar
  • Brooks SK, Webster RK, Smith LE, Woodland L, Wessely S, Greenberg N, et al. The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. Lancet. 2020;395:912-20
  • Ornell F, Schuch JB, Sordi AO, Kessler FHP. “Pandemic fear” and COVID-19: mental health burden and strategies. Braz J Psychiatry. Forthcoming 2020
  • Campanha Saúde Mental https://www.paho.org/bra/

Fonte: fiocruz


Selma Flavio – Psicoterapeuta em Saúde Mental – Constelação Familiar e especialista em Terapia Floral.

Informações e agendamento


Continuar lendo Coletânea atualiza saberes sobre PICS. Primeiro número aborda florais

Você é só explosiva ou tem transtorno de borderline?

O que é Transtorno de personalidade borderline?

O Transtorno de Personalidade Borderline (CID10 – F60.3)(TPB) é transtorno de saúde mental que pode causar um padrão de instabilidade comportamental nas relações interpessoais, na autoimagem e afetos.

É considerado um transtorno de personalidade fronteiriço ou limítrofe entre uma modalidade “não normal” da personalidade de se relacionar com o mundo e um estado que pode ser considerado patológico.

A pessoa com síndrome de Borderline apresenta sintomas como impulsividade, visão distorcida de si e dos outros, medo de abandono ou de ficar sozinho e reações agressivas e intensas.

Características da síndrome de Borderline

As características mais comuns das pessoas que têm a Síndrome de Borderline são:

  • Alterações do humor que podem durar horas ou dias, variando entre momentos de ira, depressão e ansiedade;
  • Irritabilidade e ansiedade que pode provocar agressividade;
  • Medo de ser abandonado por amigos e familiares;
  • Instabilidade nas relações, podendo causar distanciamento;
  • Impulsividade e dependência por jogos, gasto de dinheiro descontrolado, consumo exagerado de comida, uso de substâncias e, em alguns casos, não cumprindo regras ou leis;
  • Pensamentos e ameaças suicidas;
  • Insegurança em si próprio e nos outros;
  • Dificuldade em aceitar críticas;
  • Sensação de solidão e de vazio interior.

Diagnóstico de Transtorno de personalidade borderline

Como identificar uma pessoa borderline?

O diagnóstico do Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) é clínico, baseado em uma minuciosa avaliação psiquiátrica feita por profissional de saúde mental qualificado.

Muitos profissionais envolvem o paciente no seu próprio diagnóstico, na medida em que vão mostrando a ele os critérios diagnósticos e perguntando quais deles os definem plenamente. Este método ajuda o paciente a aceitar melhor o diagnóstico.

Entretanto, há profissionais que preferem não dizer ao paciente o diagnóstico por conta do estigma e também porque, antigamente, o diagnóstico de Transtorno de Personalidade Borderline era tido como intratável.

De modo geral, falar com o paciente sobre o diagnóstico é a conduta preferível para a maioria dos especialistas. Questões que precisam ser perguntadas são sobre ideações suicidas, atos autolesivos e pensamentos sobre machucar os outros. O diagnóstico é clínico, baseado no relato do paciente e nas observações do médico.

Cuidado ao diagnosticar

É importante lembrar que, hoje, o diagnóstico é feito pela presença de uma coleção de traços e não por um critério isolado. Mas nem sempre a resposta é certeira: é comum a confusão do Transtorno de Personalidade Borderline com o transtorno bipolar, por exemplo.

Exames recomendados

Exame físico e testes de laboratório são recomendados para eliminar sintomas possíveis, como problemas de tireoide e abuso de substâncias. Exames de imagem são usados para afastar outras causas, especialmente neurológicas.

Diagnóstico precoce

Normalmente, o Transtorno de Personalidade Borderline demora a ser diagnosticado. Pode levar três, cinco, dez ou ainda mais anos até que seja descoberto. Por isso, é muito importante que o diagnóstico seja feito o mais precocemente possível e que o tratamento seja logo iniciado.

Buscando ajuda médica

Sempre que o paciente com Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) apresentar sintomas muito angustiantes e/ou reações que possam afetar ou machucar a si mesmo ou a outras pessoas, ele deve procurar um médico.

O mesmo ocorre quando há intenção suicida ou mesmo tentativa. Nesses casos, é muito importante que a família e, principalmente, os terapeutas tenham conhecimento desses pensamentos, pois eles podem ajudar.

Complicações possíveis

O que é ser uma pessoa borderline?

A pessoa com Borderline tende a estar em constante estado de agitação, entenda melhor as características da pessoa borderline. As complicações costumam ocorrer quando há separação, abandono percebido ou desaprovação de outra pessoa.

Os indivíduos com este transtorno exibem impulsividade em áreas potencialmente prejudiciais para si próprios, tais como nos esportes, nos jogos de azar, no consumo de tabaco, álcool e drogas, gastos irresponsáveis, comer em excesso, abusar de medicamentos, praticar sexo inseguro e dirigir de forma impudente.

Portanto, as complicações decorrentes do Transtorno de Personalidade Borderline são:

  • Distúrbios alimentares
  • Obesidade mórbida
  • Síndrome metabólica
  • Promiscuidade
  • Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)
  • Gravidez indesejada
  • Problemas com a lei
  • Dilapidação do patrimônio
  • Graves acidentes
  • Comportamento automutilante

Há ainda a possibilidade de comorbidade com outros transtornos psiquiátricos associados ao Transtorno de Personalidade Borderline. Entre outras complicações mais graves, estão gestos suicidas e o ato de suicídio em si.

Hoje, sabemos que o risco maior de completar o suicídio a quem sofre da condição é nos 5 a 7 anos do início da manifestação. Depois disto, o risco diminui. Sendo assim, somente 10% das pessoas com Borderline chegam a consumar o suicídio.

Psicoterapia

Tratamento de Transtorno de personalidade borderline

O tratamento inicial do transtorno de Borderline é feito com a psicoterapia. Ela ajudará o paciente a controlar melhor seus impulsos e entender seu comportamento.

A psicoterapia é uma grande aliada para quem busca a melhora de aspectos emocionais. Além de oferecer auxílio em momentos de aflição, o acompanhamento de um psicólogo permite um maior entendimento frente às questões da vida.

Ter o acompanhamento de um psicólogo no dia a dia pode trazer transformações significativas em sua existência, independente do motivo que o motivou a iniciar a psicoterapia.

Outro ponto trazido pelo tratamento com a psicoterapia é o foco, principalmente, nas questões do suicídio e da automutilação, além do aprendizado de novas habilidades, como consciência, eficácia interpessoal, cooperação adaptativa nas decepções e crises e na correta identificação e regulação de reações emocionais.

Terapia familiar

O tratamento de Borderline pode feito também com a ajuda da terapia familiar, pois, em geral, a família tende a abandonar o paciente ou a se tornar superprotetora. Os pais se dizem impotentes e relatam sofrer tanto quanto o paciente.

Medicamentos

Os remédios usados para tratar os pacientes com Borderline geralmente focam em sintomas isolados. Entre os medicamentos mais utilizados, estão:

  • Antidepressivos: para comorbidades (mais de uma patologia) como a depressão
  • Estabilizadores de humor: para problemas interpessoais e de raiva
  • Antipsicóticos: para impulsividade.

Objetivos do tratamento

No início, o tratamento pode aliviar alguns sintomas, principalmente aqueles que mais perturbam os pacientes. Porém, ao pensar no desenvolvimento da personalidade, o tratamento deverá ser de médio a longo prazo.

Os tratamentos, especialmente a psicoterapia, também podem ser breves, com duração de 20 sessões ou de longo prazo, de dois a três anos. Pesquisas atuais têm apontado que tratamentos de longo prazo produzem resultados mais duradouros no decorrer da vida.

O objetivo é ir além dos sintomas, buscando o desenvolvimento duradouro das capacidades psíquicas do paciente.

Fontes minhavida tuasaude

Lembre-se você é responsável por você, diagnóstico correto e ajuda médica são os passos mais importantes para a sua mudança.

Filmes que retrataram o Transtorno de Personalidade Borderline

  • Atração Fatal (1987)
  • Borderliner (2017 – Netflix)
  • Garota, Interrompida (1999 – Netflix)
  • Distúrbio Mortal (2002)
  • As Horas (2002)
  • Monster – Desejo Assassino (2003)
  • Bem-Vindos ao Meu Mundo (2014)


Selma Flavio – Psicoterapia Pós Graduada em
Saúde Mental / Constelação Familiar – Especialista em Terapia Floral


Leia mais

Continuar lendo Você é só explosiva ou tem transtorno de borderline?