QUEM QUER APRENDER A FAZER AMOR

Quem quer aprender a fazer amor precisa se esquecer um pouco de sexo. Precisa se esquecer até mesmo do outro. Deve estar em si, antes de tudo. E entender-se com suas raízes selvagens. E deve saber, antes, que o amor rege o mundo. Mesmo quando se esquecem dele. Quem quer aprender a fazer amor deve ser capaz de olhar nos olhos. E no olhar expressar, receber, trocar.

Até tocar


Precisa perceber o quanto as almas podem comungar, ainda que os corpos não se conheçam. Deve, ao lado do seu bem – sim, pra fazer amor tem que querer bem –, abrir espaço para que uma canção de derramada beleza os transporte para reinos de ternura. Precisa conhecer o próprio corpo e ter a bondade de lhe conceder prazer. Precisa investigar o prazer do outro e saber que tudo está muito bem se tiver prazer em lhe provocar prazer. Quem quer aprender a fazer amor também deve ser capaz de se aninhar no corpo do seu par e ficar quietinho. E deve ser livre o suficiente para poder chorar de amor. Nunca pode se considerar mestre. Porque os verdadeiros mestres sabem que são aprendizes sempre. Quem quer aprender a fazer amor tem que ser criança no coração e amar a brincadeira. E tem quer ter tempo, muito tempo, para fazer amor. Porque a cama a gente prepara muito antes de deitar.

– Khalil Gibran

Dificuldades no relacionamento, também tem terapia, entre em contato.

#SejaEstejaSorria #auraquartz #espaçoauraquartz #amor #fazeramor #relacionamento

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail

LEIA MAIS

Continuar lendo QUEM QUER APRENDER A FAZER AMOR

Vivencie a Sexualidade Feminina

Nos Conceitos da Constelação Sistêmica – OFICINA TERAPÊUTICA

Sobre este evento

O objetivo do encontro é o aprofundamento nos três pilares da Constelação Sistêmica voltado para as questões da Mulher em toda a sua esfera – Pertencimento – Retomando o direito de pertencer; Equilibro – Compreender o dar e receber; Ordem – a hierarquia no sistema. Vivenciaremos questões para possíveis soluções através da prática, meditação, visualizações e vivências.

Ainda nos deparamos com tabus e preconceitos arreigado nas nossas questões de ser mulher, defrontando com os abusos, humilhações, dificuldades nos relacionamentos, sexualidade e na prosperidade da vida. Olhar com a visão sistêmica, desencadeia as possibilidades de vivenciar a liberdade das emoções.

“Compreender o movimento da vida, nos transporta para a realidade que não conhecemos, assim, olhar para a origem buscando do autoconhecimento a cura. Poder ver a vida em bosque de flores, colhendo a sabedoria e o entendimento para a transformação pessoal. “
Selma Flavio – Terapeuta em Constelação Familiar

Para pagamentos a vista com boleto ou dinheiro com descontos entre em contato – AuraQuartz / Inscrições: WhastApp 11 973873144 Selma

PARA TODAS AS MULHERES QUE DESEJAM RESPOSTAS

♂ Para você que deseja ser feliz nos relacionamentos

♂ Para quem quer tratar situações em que sofreu abusos em todas as esferas

♂ Para quem quer ser amada

♂ Para resolver as questões com o feminino e a feminilidade

♂ Para mulheres que tem maridos “fracos”

♂ Se sofreu com os abortos espontâneos ou não.

♂ Se deseja ter filhos

♂ Questões com a sexualidade e sentir prazer novamente

♂ Nas questões profissionais

♂ Quer sair da depressão, da síndrome do pânico ou outros males emocionais.

Confiram mais informações no Facebook

Facilitadora Selma Flavio – CTN – SP nº. 0879 – Terapeuta, Constelação Familiar e Terapias Energéticas – Formada em Pedagogia, Educadora Transdisciplinar. Terapeuta Naturista especializada em Terapia Floral, Profª Curso Internacional Healingherbs (Florais de Bach); Sistemas Florais da Califórnia, Minas, Austrália, Saint Germain, Filhas de Gaia, Fox Mont, Formação em Reiki, nível III; Bioletrografia; Consciência Energética, Radiestesia, Cinesiologia; EFT (Emotional Freedom Techniques); Magnified Healing; Pertenceu ao corpo diretivo SINATEN (Sindicado Nacional dos Terapeutas Naturistas). Trabalhos comunitários realizados na associação de amigos do bairro Jardim Sapopemba e trabalhos sociais com mulheres da Delegacia Feminina Eliana de Gramon, através da Associação dos Terapeutas Florais – ABR-flor; Participante no Seminário Internacional de Bert Helling, Brasil – e Constelação Familiar Sistêmica.

Entrevista Rádio Justiça de Brasília – entrevista-concedida-a-radio-justica-constelacao-familiar-no-judiciario/

Quer saber mais quer saber mais sobre Constelação – leia aqui constelacao-familiar/


Vivencie a Sexualidade Feminina - informações pelo whastapp 11 973873144
Sexualidade Feminina


Terapeuta Sistêmica #SelmaFlavio / FaceBook #EspaçoAuraQuartz / #SejaEstejaSorria

ANATOMIA FEMININA

*foto Facebook

Mulheres, isso é um útero.
A imagem também mostra os ovários.
Todas as mulheres nascem com esse órgão maravilhoso, e muitos de vocês nunca viram isso.
Seu tamanho normal é de cerca de 7 centímetros de comprimento e 5 centímetros de largura. Este órgão se expande mais de 100 vezes para abrigar um feto.
Todo mês, ela se autodestrói e reconstrói, eliminando a menstruação devido a contrações, então a dor menstrual é a dor do útero, não dos ovários.
Pode suportar até 150 vezes o seu próprio peso.
É o único órgão capaz de criar outro órgão: a Placenta.
Está ligado a você. Se você ficar estressada, ele fica estressado, se você relaxar, ele relaxa.
Nesse mesmo órgão, a vida é compartilhada, pois há mulheres que com esse órgão, deram vida a até 15 crianças, hoje em dia, só dão vida a 2 ou 3 filhos, mas está capacitada para treinar mais de 20 vidas.
É o segundo coração de uma mãe, porque ali ela forma o coração de seus filhos.


Terapeuta Sistêmica #SelmaFlavio  / FaceBook #EspaçoAuraQuartz / #SejaEstejaSorria


Confira Evento Facebook


Independência

Independência é aceitar a si mesmo antes da aprovação alheia. 
É defender a própria verdade e ter humildade para mudar de opinião caso seja surpreendido por melhores argumentos. Ser independente é preferir ir ao cinema com alguém, mas não perder o filme por falta de companhia. É vibrar quando lhe abrem um champanhe, mas não deixar de comemorar sozinho se a sua alegria basta para o brinde. Ser independente é fazer tudo o que se gosta junto de quem mais se gosta, incluindo a si mesmo.

Martha Medeiros


Terapeuta Sistêmica #SelmaFlavio  / FaceBook #EspaçoAuraQuartz / #SejaEstejaSorria


Confira Evento FaceBook


“Quer foder comigo?” Sexo casual

“Quer foder comigo?”
Sexo casual 
é o novo modelo de relacionamento.
Uma mensagem,
Um olhar,
Algumas palavras e pronto!
O sexo ganhou um novo pseudônimo;
o aclamado: “foda”.
Então prepare o preservativo
que a noite vai ser de prazer.
Mas a preservação não é só 
por uma gravidez inesperada ou uma DST,
também nos preservamos 
do compromisso,
do apego,
das cobranças
e também do AMOR.
É mais fácil tirar a roupa do que o sorriso.
Tocar corpo do que o coração.
Preferimos alguém pra comer em uma noite,
a alguém que fique para comer com a gente no café da manhã.
Estamos tão fragilizados com compromisso
que matamos o prazer enquanto a carência nos enterra.
Houve um tempo em que as pessoas 
faziam amor, e eram felizes.
Mas hoje, elas fodem!!!
E talvez por isso exista pouca gente feliz
e tanta gente fodida.”

Marcos Bulhões

?

#SejaEstejaSorria


A maioria das mulheres não conhecem o prazer

“A maioria das mulheres não conhecem o prazer. Não gozam. Não parem. Não menstruam. Toda sociedade é organizada para servir ao prazer do masculino. Somos como somos por fruto de dores na alma, múltiplas violações.


Mulher tem que lavar a vagina com sabonete íntimo e passar perfume. Porque cheiro de vagina é sujo. Aliás mulher tem pepeca, piriquita, sei lá. Não tem vagina.


Logo, como parir? Estamos tão longe de nós mesmas, do nosso ciclo, dos nossos desejos. Estamos desunidas. Não cantamos se não for para seduzir. Não dançamos se não for para ser olhada pelos homens. Estamos afastadas das mulheres. Não comemos para não engordar, e nosso corpo é massacrado: depilado, cortado em cirurgias, pés amassado em salto, peitos esmagados em bojo.


Não nos tocamos. Não conhecemos nosso corpo. Já dissemos sim com medo de sermos rejeitadas. Tiramos o batom vermelho.
E por mais que façamos, nos sentimos em falta. Nos sentimos feias.
Mulher tem que servir ao homem. Ser mãe é feio. Vagina parindo é feio. Seio amamentando é feio. Bonito é dar prazer mesmo que não sinta. É peito durinho. Barriga chapada. É bebê chorando para dormir para voltar a ter vida conjugal.


Bonito é silicone, vida sem menstruar, pepeca com cheiro de sabão. Cumprir o padrão social sendo mãe, mas agendando a cesárea com escova e unha feita. Mamadeira.


Assim como dizem os tibetanos: vivem como se não fossem morrer e morrem como se não tivessem vivido. Mas o que vejo é: Dê a faminta mulher selvagem apenas uma oportunidade que ela sai e come a carne toda… E quando elas tem chance no parto, se empanturram. Parto é um portal poderoso que une vida, morte e sexualidade. Gritam, xingam, rebolam, beijam. Sentem dor sim até aceitarem o prazer. Pode não ser no parto em si, mas o prazer vem com a realização. O parto despe, desperta. Basta uma pequenina chance. Mas a mulher selvagem pode despertar de muitas formas: em um projeto que sai da gaveta, diante da morte ou doença. Ou num dia sem motivo que se sai para comprar pão na esquina, e com a faca e o queijo na mão, se descobre a fome. E um segredo: estamos tão presas… Uma mulher que acorda desperta uma comunidade inteira.

fonte
ecosolfeministafbes



SEXO VIOLENTO E A CURA DA VAGINA

Não é necessária uma violação para que uma vagina fique traumatizada.
Quando tratada de uma forma bruta e violenta, mesmo que dentro de um relacionamento estável e aparentemente saudável, os tecidos da vagina, extremamente sensíveis podem perder a sua altíssima sensibilidade.
No ocidente homens e mulheres aprendem a arte de fazer amor com a pornografia, indústria que trabalha com a intenção de atrair maioritariamente um publico masculino desde tenra idade, estimulando o abuso da integridade e do corpo feminino.
Neste tipo de produção, não são raras as vezes em que o homem “consome” e abusa do corpo da mulher como um animal, batendo-lhe com força e brutalidade, humilhando-a e diminuindo o seu valor.

Este tipo de mensagem é depois replicada pelo homem, nas suas relações intimas.

Ignorante da verdadeira arte de fazer amor, a maioria dos homens ocidentais desconhece a fisionomia feminina bem como a altíssima sensibilidade da vagina, a somar o facto de que muitas mulheres aceitam este tipo de comportamento, por elas próprias não estarem disponíveis para respeitar e ouvir o seu próprio corpo.

Muitas sujeitam-se a este tipo de comportamento porque temem perder o homem.

A solidão é um dos maiores temores do feminino.

Ao permitir a violência a mulher vai sofrendo uma diminuição gradual das suas qualidades recetivas.

No Ocidente o homem penetra a mulher muito antes de que a temperatura sexual dela esteja suficientemente alta para convidá-lo a entrar.

Em segundo lugar, após a entrada do homem, produz-se uma série de fricções do pénis contra as sensíveis e suaves paredes vaginais que causam outro efeito negativo:

A vagina deixa de ser um canal altamente sensivel e recetivo, para ser um canal endurecido e “couraçado”.

Em terceiro lugar, os movimentos mecânicos da pélvis, próprios do sexo convencional contribuem, ainda mais, para aumentar a crescente insensibilidade do interior da vagina.

O Sexo lento e a cura da vagina

Um exemplo concreto da conexão entre os seios e vagina-útero, é o facto de que a sucção do recém-nascido ativa a expulsão da placenta e que as mães quando amamentam, geram oxitocina que atua ao nível do colo do útero.

Então será suficiente uma boa estimulação dos seios para chegar ao orgasmo?

Existem muitas mulheres que não necessitam deste passo para atingir o clímax, mas para a maioria este é um passo precioso, que se fosse respeitado e bem conduzido possivelmente não existiriam tantas mulheres, frigidas ou com dificuldades para atingir o orgasmo.

Quando bem estimulados, os seios promovem um tipo de energia que inunda e acende a vagina.

Numa relação heterossexual, a vagina, como polo passivo, deve estar totalmente preparada para receber o máximo de impacto da energia masculina.
É importante reconciliarmos a natureza recetiva / passiva da sexualidade feminina.
Passiva não quer dizer submissa.

Na Sexualidade Sagrada, a mulher recebe no seu corpo a energia masculina e é por isso que se diz que é o polo passivo: o seu movimento não é para a frente nem para fora, como no caso da energia masculina, mas sim de dentro para cima.

Quando a vagina da mulher vibra como resposta magnética às carícias dos seus seios, torna-se recetiva e ativa em si a energia sexual, criativa e prazerosa

Este é o momento em que a mulher percebe que está pronta para o coito.

É um acontecimento energético completamente espontâneo: um “Sim” absoluto à penetração que parte das profundezas.
Então pode abrir-se a entrada da energia dinâmica do pénis criando um circuito eletromagnético vivo.

A vagina “derrete” à volta do pénis e bebe a energia que irradia dele.

A mulher, como força recetiva feminina, possui a capacidade de arrastar a energia masculina para cima através da sua vagina, levando-a ao coração e elevando-a a uma frequência mais alta.

O sexo é um ato sublime de comunicação sutil e poderosa e como em toda dinâmica de comunicação, o recetor deve estar disposto e aberto para receber o que o emissor tem para expressar.

Se o emissor e o recetor estão bem sintonizados, então a comunicação flui, da mesma forma também a energia sexual flui através desta dinamica de recetividade e abertura de um ao outro.
 Se não, por muito que o emissor queira dar a sua energia / informação, o recetor não pode absorver ou Integrá-la.

… amor, escuta, lentidão, silêncio, interiorização, presença…

Estas são as chaves para despertar o poder sexual feminino no coito.
Um poder que deve ser aquecido em lume brando e quando chega à fervura tem uma energia tal que pode levar a mulher a estados alterados de consciência inimaginados capaz de fazer derreter o maior iceberg. E até mesmo apaziguar ou curar, algumas feridas emocionais sexuais.

O caminho da cura está nas nossas mãos …

O primeiro passo deverá ser olharmos para a nossa sexualidade com vontade de a aperfeiçoar, só assim teremos a possibilidade de mudar a nossa energia alquímica e isto terá uma consequência imediata em toda a nossa vida.


Este texto foi elaborado segundo os ensinamentos de Ollin Mazatzin Emekauko por Rute Alegria

*imagem Google



Mulher, você tem dificuldade com a intimidade, dificuldade de ter orgasmo, entre em contato e conheça o meu trabalho terapêutico.

Sou Selma Duarte terapeuta Sistêmica e Vibracional
Fale comigo pelo WhastApp  ou telefone 11 973873144